Há 97 PPR à sua disposição. Apenas 3 merecem encher o seu mealheiro

22 Maio 2016785

A maioria dos planos de poupança-reforma rende pouco ou cobra muito. Temos a lista completa dos 97 PPR disponíveis aos investidores, mas apenas destacamos um trio para aplicar o seu dinheiro.

[Temos uma análise mais recente aos PPR: Proteja a sua reforma. Só há dois PPR que merecem o seu dinheiro.]

Apesar de os benefícios fiscais terem sido cortados drasticamente desde que foram lançados, os planos de poupança-reforma continuam a ser o terceiro produto financeiro mais popular entre os portugueses. Há mais de 15 mil milhões de euros aplicados em PPR, o equivalente a cerca de 3.800 euros por família.

PPR são o terceiro produto mais popular

Na gama de produtos financeiros, os planos de poupança-reforma são apenas suplantados pelos depósitos a prazo e pelos seguros de capitalização na captação de poupanças dos portugueses.

Saldo em dezembro de 2015

Fontes: APFIPP, APS, Banco de Portugal, CMVM, IGCP.

É possível que o sucesso dos PPR tenha os dias contados. O valor investido em PPR na modalidade de seguros de vida – que representam 88% deste mercado – desceu 665 mil euros por dia nos 12 meses que terminaram em março passado, mostram os indicadores compilados pela Associação Portuguesa de Seguradores.

Além do impacto dos montantes reembolsados, os portugueses estão a subscrever cada vez menos PPR. Na modalidade de seguros, as subscrições desceram 22,6% em 2015. “Os condicionalismos específicos de alguns grupos financeiros com relevância neste mercado” foi o fator decisivo para a queda, lê-se no relatório anual da Associação Portuguesa de Seguradores. As estatísticas da associação revelam que a produção de PPR caiu substancialmente na GNB Seguros de Vida (-89%) e na T-Vida (-81%), ambas antes integradas no Grupo Espírito Santo, na Lusitania Vida (-61%) e na Real Vida (-56%).

No primeiro trimestre de 2016, o ritmo de redução do valor investido em PPR acelerou para cerca de 900 mil euros por dia. Mesmo assim, a essa velocidade, o montante investido em PPR só seria ultrapassado pelo capital aplicado em Certificados de Aforro, o quarto produto financeiro mais popular, em 2024.

Drástico corte do benefício fiscal

Quando os PPR foram criados, em 1989, era possível deduzir ao rendimento coletável o montante aplicado até 500 contos (2493,99 euros), desde que não se ultrapassasse 20 por cento do rendimento bruto. Grosso modo, o fisco pagava a totalidade da poupança para a reforma dos contribuintes que aplicassem até 500 contos por ano. Este limite está muito longe da realidade atual.

Em 2016, é possível deduzir à coleta 20% das aplicações em PPR com um máximo entre 300 euros e 400 euros, consoante a idade do aforrador. No entanto, o benefício fiscal dos PPR concorre com outras deduções à coleta – como as despesas de saúde e os encargos com lares – para um outro limite que depende do rendimento do agregado familiar. Na prática, a dedução possível é muito magra.

Mude se não está satisfeito

Se o seu PPR não o satisfaz e não quer resgatar (porque normalmente isso gera uma pesada multa fiscal), mude de casa à sua poupança. As entidades gestoras estão limitadas por lei nas comissões que podem cobrar na transferência do pé-de-meia para outra instituição. Se o PPR tiver capital garantido, a comissão máxima é de 0,5% do montante a transferir. Se não tiver capital garantido, não pode haver lugar a comissão.

As 385 mil famílias portuguesas que declararam a subscrição de PPR conseguiram uma dedução à coleta média de 75 euros em 2014, de acordo com as estatísticas da Autoridade Tributária e Aduaneira relativas ao IRS de 2013, o último ano disponível. Nove anos antes, os agregados familiares conseguiram, em média, 436 euros.

Os PPR mantêm, contudo, o benefício fiscal à saída, que é efetivamente atraente. Se o reembolso for efetuado nas situações previstas na lei – reforma por velhice; a partir dos 60 anos de idade; desemprego de longa duração, incapacidade permanente para trabalhar ou doença grave de algum membro do agregado familiar; para pagar a prestação do crédito à habitação –, a taxa de tributação dos ganhos pode ser de apenas 8%, o que compara favoravelmente com os 28% aplicados à generalidade dos instrumentos financeiros.

Qual o PPR certo?

No final deste artigo pode analisar 97 planos de reforma. O Observador compilou os resultados dos PPR na modalidade de seguro de vida (excluindo quando ligados a fundos de investimento), de fundos de investimento e de fundos de pensões. Apenas incluímos os produtos em comercialização, o que deixa de fora mais de cinco centenas de PPR que os portugueses podem deter atualmente – e que, embora seja pouco provável, podem ser melhores do que os recomendados. Excluímos os seguros ligados a fundos de investimento, que representam uma pequena franja do mercado, por haver pouca informação pública.

Como escolher um PPR

Não subscreva um PPR apenas porque o seu intermediário financeiro lhe propôs. Estas são as regras que deve seguir:

  1. Não se limite ao seu banco. É possível que outras instituições financeiras tenham produtos muito melhores.
  2. Comissões baixas. Evite PPR que prevejam comissão de subscrição ou de reembolso, embora esta última possa ser aceitável se se aplicar apenas quando a duração do investimento é curta.
  3. Mínimo reduzido. É conveniente reforçar o PPR periodicamente, por isso o montante mínimo exigido deve estar em linha com a sua capacidade de aforro.
  4. Rentabilidade histórica. Embora não seja garantia de desempenho futuro, a melhor maneira de aferir a capacidade de gestão é o retorno passado do PPR, comparando-o com os concorrentes.

Elegemos três planos de reforma para os leitores do Observador. O primeiro, o Alves Ribeiro PPR, tem sido o mais rentável, mas também é mais volátil. O segundo, o NB PPR, é a escolha mais sensata para a maioria dos aforradores. O último, o Leve Duo (PPR), é apenas para quem exige que o seu dinheiro esteja garantido.

Alves Ribeiro PPR
Rentabilidade 2015: 9,94%
Rentabilidade média 2013-2015: 12,71%
Comissões de gestão e depósito: 1,50%
Maior ativo (março de 2016): Dívida pública espanhola
Comercialização: Banco Invest

Este foi o único PPR que rendeu 100% desde 2011, como revelou o Observador em dezembro. Paulo Monteiro, o diretor da gestão de ativos do Banco Invest, conseguiu levar o Alves Ribeiro PPR a um ganho anual de 6,90% desde que o produto foi lançado, em agosto de 2001. Este produto tem uma comissão de reembolso de 1%, mas apenas é aplicada se o resgate acontecer durante o primeiro ano após a subscrição.

A dívida pública espanhola era, em março, a maior aposta da Invest Gestão de Activos, a sociedade gestora de ativos do Banco Invest. O fundo de reforma tinha um quarto da carteira aplicada em títulos do tesouro do reino vizinho. Paulo Monteiro também aposta em ações, mas normalmente os investimentos não absorvem mais de 20% da carteira. O gestor prefere aplicar através de fundos de índice, “porque é mais barato”, como disse ao Observador em dezembro.

A melhor alternativa ao Alves Ribeiro PPR é o Optimize Capital Reforma PPR Acções, comercializado também pelo Banco Invest, além da sociedade gestora, a Optimize Investment Partners. Este fundo tem a desvantagem de quase 80% da carteira estar investida noutros fundos de investimento (incluindo da Optimize), o que significa que os subscritores pagam, pelo menos, duas camadas de comissões.

NB PPR
Rentabilidade 2015: 8,40%
Rentabilidade média 2013-2015: 8,14%
Comissões de gestão e depósito: 1,175%
Maior ativo (março de 2016): Bilhetes do Tesouro
Comercialização: ActivoBank, Banco Best, Banco Invest, GNB, Novo Banco

Este é provavelmente o PPR indicado para a maioria dos aforradores. Embora não tenha capital garantido, é mais estável do que o Alves Ribeiro PPR (embora não tenha sido tão rentável em longos períodos). Paulo Joaquim, o gestor do NB PPR, pode investir no mercado acionista, mas está mais limitado: pode aplicar, no máximo, 25% da carteira. No início de maio, menos de 13% do património estava investido em ações. Todavia, a exposição estava diversificada por perto de uma centena de títulos, liderada por sociedades portuguesas, como a EDP Renováveis, os CTT e a Galp Energia.

A maior aposta de Paulo Joaquim era em Bilhetes do Tesouro – que, entretanto, já atingiram o vencimento – e títulos do tesouro norte-americano. Este perfil mais conservador garantiu ao NB PPR apenas um ano negativo na última década – e muito ligeiramente negativo. Em 2008, este fundo desvalorizou-se 0,39%, enquanto o Alves Ribeiro PPR deslizou -17,18%. Desde que foi lançado, em novembro de 1991, o NB PPR rendeu 6,62% por ano.

O Optimize Capital Reforma PPR Moderado, que aplica entre 5% e 15% no mercado acionista, é a melhor alternativa ao NB PPR, embora sofra do mesmo mal do Optimize Capital Reforma PPR Acções: a sua carteira é composta maioritariamente por outros fundos de investimento e, por isso, tem, pelo menos, duas camadas de comissões.

Leve Duo (PPR)
Rentabilidade 2015: 5,40%
Rentabilidade média 2013-2015: 6,11%
Comissões de gestão e depósito: 1,50%
Maior ativo (fevereiro de 2016): Obrigações do Tesouro
Comercialização: Caixa Geral de Depósitos, Fidelidade

A maioria dos aforradores prefere PPR com garantia de capital. No longo prazo, é uma má opção, porque, para conseguirem dar garantias, as entidades gestoras têm de ser muito conservadoras nas aplicações. Nos últimos três anos, por exemplo, os PPR com garantia de capital renderam 2,66% por ano, enquanto aqueles que não oferecem garantia deram 3,86%. Não pense que esta diferença é menosprezável: uma aplicação mensal de 100 euros durante 30 anos rende mais de 67 mil euros em vez de menos de 55 mil euros ao ritmo dos PPR com garantia de capital.

Se tiver a certeza que um PPR com garantia de capital é, mesmo assim, o mais indicado para o seu caso, escolha o Leve Duo (PPR). Este produto da Fidelidade garante o capital investido, mas não uma rentabilidade mínima. Nos últimos três anos foi o PPR garantido mais rentável: em média, ganhou 6,11% por ano. É um caso único e, por isso, não tem alternativa à altura.

O Leve Duo (PPR) tem uma comissão de reembolso de 0,5%, mas só é aplicável aos resgates efetuados antes do quinto aniversário da aplicação.

Embora as Obrigações do Tesouro português sejam a maior aposta dos gestores da Fidelidade, 41% da carteira do Leve Duo (PPR) eram depósitos à ordem no final de fevereiro passado. Os gestores podem aplicar até 40% no mercado acionista.

97 PPR para escolher
Estes são os planos de poupança-reforma em comercialização, excluindo os PPR na modalidade de seguros ligados a fundos de investimento.
Planos de poupança-reforma Rentabilidade anual média
Comissão máxima Capital garantido Entidade gestora
2015 2013-2015 Subscrição Reembolso
Alves Ribeiro PPR 9,94% 12,71% não tem 1,00% Não Invest Gestão de Activos
NB PPR 8,40% 8,14% não tem não tem Não GNB
PPR SGF Acções Dinâmico 7,51% 4,72% 2,00% 1,00% Não SGF
Optimize Capital Reforma PPR Acções 7,05% 7,94% não tem não tem Não Optimize
Eurovida PPR Open 5,77% 8,15% 2,00% 2,00% Não Eurovida
Leve Duo (PPR) 5,40% 6,11% não tem 0,50% Sim Fidelidade
PPR Big Taxa Plus 5,16% n.a. não tem 2,00% Não Futuro
Plano Poupança Reforma – PSN 5,02% 5,05% 2,50% não tem Sim PSN
PPR Praemium V 4,78% 5,10% 2,00% 2,00% Não Ocidental Pensões
Optimize Capital Reforma PPR Equilibrado 4,27% 5,08% não tem não tem Não Optimize
PPR Big Acções Alpha 3,54% n.a. não tem 2,00% Não Futuro
PPR Europa 3,51% 4,57% 3,00% não tem Não Ocidental Pensões
Prévoir PPR PP (TT 0%) 3,50% n.a. 2,00% 2,00% Sim Prévoir Vie
Prévoir PPR PU (TT 0%) 3,50% n.a. 2,00% 2,00% Sim Prévoir Vie
Optimize Capital Reforma PPR Moderado 3,28% 5,91% não tem não tem Não Optimize
PPR BNU Vanguarda 3,16% 3,58% 3,00% 3,00% Não Ocidental Pensões
Generali PPR +Seguro (Prémios Periódicos) 3,00% 3,75% 2,50% 1,50% Sim Generali Vida
Generali PPR +Seguro (Prémios Únicos) 3,00% 3,75% 2,00% 1,50% Sim Generali Vida
PPR Investimento T 2013 – 2.ª Série (61.81 e 61.82) 3,00% 3,00% não tem 4,35% Sim T-Vida
Leve II (PPR) 2,93% 3,70% não tem 0,50% Sim Fidelidade
PPR Plano A 2,68% 3,26% 2,10% 2,00% Sim Mapfre Seguros de Vida
Liberty PPR Mais 2,67% 2,59% 3,00% 2,00% Sim Liberty
Vanguarda PPR 2,67% 3,64% 3,00% 2,00% Não Ocidental Pensões
Barclays PPR Rendimento Garantido – Série 01 2,65% 3,07% 2,00% 2,00% Sim Barclays Vida e Pensiones
Barclays PPR Rendimento Garantido – Série 03 2,56% 2,94% 1,00% 2,00% Sim Barclays Vida e Pensiones
Mapfre PPR 2 2,50% n.a. 1,15% 0,60% Sim Mapfre Seguros de Vida
Viva PPR XXI 2,50% 2,67% 3,00% não tem Sim Groupama Vida
PPR BBVA Acções 2,47% 4,69% 2,00% 2,00% Não BBVA Fundos
Postal PPR Rendimento Crescente 2,40% n.a. não tem 2,00% Sim Mapfre Seguros de Vida
Mapfre PPR 2,25% n.a. 2,10% 2,00% Sim Mapfre Seguros de Vida
Mapfre PPR Edição Especial 2,25% n.a. não tem 2,00% Sim Mapfre Seguros de Vida
Postal PPR Garantido 2.ª Serie 2,25% n.a. não tem 2,00% Sim Mapfre Seguros de Vida
PPR BIC 2,25% n.a. não tem 2,00% Sim Mapfre Seguros de Vida
Plano Poupança Essencial – PPR (61.56) 2,00% 2,39% 0,50% não tem Sim T-Vida
PPR Tranquilidade Plano Mulher – (62.12) 2,00% 2,75% 3,00% 1,50% Sim T-Vida
PPR Tranquilidade Plano Seguro – (62.13) 2,00% 2,75% 3,00% 1,50% Sim T-Vida
Solução PPR Zurich 1,96% 2,12% não tem 2,00% Não Zurich Vida
PPR Património Reforma Acções 1,95% 2,82% 3,00% 2,00% Não SGF
Vida PPR Rendimento Garantido 03 1,93% 2,50% 1,00% 2,00% Sim Bankinter Seguros de Vida
PPR Garantido T – (61.31) 1,89% 2,63% 1,50% 1,50% Sim T-Vida
PPR SGF Garantido 1,66% 1,66% 1,00% 1,00% Sim SGF
PPR Taxa Garantida BES Assurfinance (61.70) 1,65% 2,23% não tem 1,50% Sim T-Vida
Eurovida Biz PPR 1,56% 3,37% 2,00% 2,00% Não Eurovida
Eurovida PPR Activo Acções 1,53% 5,97% 2,00% 2,00% Não Eurovida
Leve PPR Uni – 2.ª série 1,35% 1,35% não tem 0,50% Sim Fidelidade
Allianz PPR Activo 1,33% 2,22% 1,50% não tem Sim Allianz
Caixa PPR Capital Mais 1,30% 2,18% não tem 2,00% Sim Fidelidade
PPR Transfer 1,30% 2,18% não tem 2,00% Sim Fidelidade
PPR Transfer (Transferências) 1,30% 2,18% não tem 2,00% Sim Fidelidade
Reforma Programada PPR 1,30% n.a. 0,50% 1,50% Sim Ocidental Vida
Reforma Programada PPR Empresas 1,30% n.a. 0,50% 1,50% Sim Ocidental Vida
Santander Poupança Valorização FPR 1,30% 3,67% 2,00% 2,00% Não Santander Asset Management
PPR Garantido Finibanco 2015 – Plano de Poupança Reforma 1,25% n.a. 1,00% 3,00% Sim Finibanco Vida
PPR Plano Reforma Capital Garantido 1,20% 1,73% 1,50% 3,00% Sim Santander Totta Vida
IMGA Poupança PPR 1,16% 3,55% não tem 0,50% Não IM Gestão de Ativos
CA PPR [Capital] 1,03% n.a. não tem 2,00% Sim CA Vida
CVI PPR 1,03% 3,23% não tem não tem Não BBVA Fundos
PPR Platinium 1,00% 4,72% não tem 2,00% Não Futuro
PPR Geração Activa 0,99% 4,69% não tem 2,00% Não Futuro
BPI Reforma Acções PPR 0,94% 2,81% não tem 1,00% Não BPI Gestão de Activos
BPI Reforma Aforro PPR 0,94% 1,45% não tem 1,00% Sim BPI Vida e Pensões
PPR Património Reforma Conservador 0,89% 1,68% 3,00% 2,00% Não SGF
PPR Garantia de Futuro 0,81% 3,35% não tem 2,00% Sim Futuro
PPR 5 Estrelas 0,80% 4,02% não tem 2,00% Não Futuro
PPR BBVA 0,61% 2,51% 2,00% 2,00% Não BBVA Fundos
PPR Património Reforma Equilibrado 0,55% 1,73% 3,00% 2,00% Não SGF
PPR Vintage 0,53% 4,41% 3,50% 1,50% Sim GNB
BPI Reforma Garantida 8 anos PPR 0,41% 1,13% não tem 0,50% Sim BPI Vida e Pensões
IMGA Investimento PPR Acções 0,40% 4,64% não tem 0,50% Não IM Gestão de Ativos
BPI Reforma Investimento PPR 0,35% 1,98% não tem 1,00% Não BPI Gestão de Activos
BPI Reforma Garantida 5 anos PPR 0,16% 0,64% não tem 0,50% Sim BPI Vida e Pensões
BPI Vida PPR 0,16% 2,63% 2,00% não tem Não BPI Vida e Pensões
BPI Reforma Garantida 3 anos PPR 0,10% 0,14% não tem 0,50% Sim BPI Vida e Pensões
BPI Reforma Garantida 2 anos PPR 0,09% n.a. não tem 0,50% Sim BPI Vida e Pensões
Eurovida PPR Activo 0,08% 4,55% 2,00% 2,00% Não Eurovida
BPI Reforma Garantida 1 ano PPR 0,02% n.a. não tem 0,50% Sim BPI Vida e Pensões
BPI Reforma Segura PPR -0,13% 2,06% não tem 1,00% Não BPI Gestão de Activos
PPR Património Reforma Prudente -0,25% 1,81% 3,00% 2,00% Não SGF
Santander Poupança Prudente FPR -0,25% 2,54% 2,00% 2,00% Não Santander Asset Management
PPR Praemium S -0,72% -0,34% 2,00% 2,00% Não Ocidental Pensões
BBVA Solidez PPR -1,03% 1,92% 2,00% 2,00% Não BBVA Fundos
Barclays PPR Acções Life Path 2020 -1,88% 1,29% 1,00% 2,00% Não Barclays Wealth Managers
Barclays PPR Life Path Income -1,92% -0,17% 1,00% 2,00% Não Barclays Wealth Managers
Barclays PPR Acções Life Path 2025 -2,16% 2,66% 1,00% 2,00% Não Barclays Wealth Managers
Açoreana Futuro – PPR Garantido (24/67) n.a. n.a. 3,00% 0,50% Sim Açoreana
Açoreana Futuro – PPR Garantido Banif (24/71) n.a. n.a. 2,50% 0,50% Sim Açoreana
Açoreana Futuro – PPR Garantido Exclusivo (24/55) n.a. n.a. 0,50% 0,50% Sim Açoreana
Açoreana Futuro – PPR Garantido Reinvestimento (24/70) n.a. n.a. 0,28% 1,00% Sim Açoreana
Açoreana Futuro – PPR Transferência (24/68) n.a. n.a. não tem 0,50% Sim Açoreana
Lusitania Poupança Reforma PPR (71D5) n.a. n.a. 2,00% 2,00% Sim Lusitania Vida
Postal PPR Rendimento Garantido n.a. n.a. não tem 1,50% Sim Fidelidade
PPR Poupança Futuro Transfer n.a. n.a. não tem 1,00% Sim Fidelidade
PPR Rendimento Total (71E5) n.a. n.a. 1,00% 1,00% Sim Lusitania Vida
PPR SGF Stoik Ações n.a. n.a. 2,00% 1,00% Não SGF
PPR+ n.a. n.a. 1,50% 2,00% Sim Ageas Vida
Real PPR n.a. n.a. 1,00% 1,25% Sim Real Vida
Real PPR R n.a. n.a. não tem não tem Sim Real Vida
Fonte: Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios; Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões; Comissão do Mercado de Valores Mobiliários; entidades gestoras. n.a. = não aplicável.

David Almas é analista financeiro independente registado na CMVM com o número oito. O autor trabalha subordinado ao Código Deontológico dos Jornalistas.

Fotografia de Jacob Edward (seniorplanning.org).

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)