Índice

    Índice

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Luís Montenegro não cheira a troika” é uma frase inusitada, reconhecemos, mas foi dita exatamente assim durante a grande entrevista de Miguel Pinto Luz ao Observador. O candidato à liderança do PSD respondia às acusações que alguns dos seus apoiantes têm feito ao outro challenger de Rui Rio, para dizer que não concorda com elas. Aliás, houve momentos na conversa em que Pinto Luz reconheceu méritos nos adversários, incluindo no atual presidente do partido: “Acho que ele falha muitas vezes na forma, mas acerta muitas vezes nos temas que escolhe para prioridade”.

E ficamos mais ou menos por aí que Miguel Pinto Luz quer que se saiba que é um crítico do Rio. Diz que a liderança do PSD está “com pressa” e a revelar “insegurança” quanto ao resultado das diretas marcadas para dia 11 de janeiro e é isso que, no seu entender, justifica o episódio da nomeação do marido da deputada e porta-voz do PSD para o Conselho Superior do Ministério Público, que tem sido comparado com o familygate do Governo.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.