Ao contrário do que alguns srs. agricultores ainda pensam, já não é necessário ter um touro para estar no negócio da carne & leite bovinos. Com inseminação artificial conseguem-se ótimos resultados a um custo mais baixo. Basta fazer as contas. Se comprar por €3.000 um animal que consiga inseminar 90 vacas em três ciclos reprodutivos, cada inseminação sai a €33, e isto sem contar com os custos de manutenção do bicho e assumindo que este não tem acidentes nem problemas de saúde. Pelo contrário, pode-se encontrar no mercado programas de inseminação síncrona, que asseguram alta qualidade no produto & rapidez no processo, por valores abaixo de €10 por inseminação.

Também ao contrário do que alguns pensam, já não é necessário casar nem copular para produzir um bebé. Empresas especializadas tratam do assunto reduzindo as chatices ao mínimo e garantindo a qualidade genética do produto, permitindo excelentes expectativas em relação à sua futura performance física e intelectual. Ao contrário da produção bovina, o do-it-yourself na produção humanoide ainda sai mais barato, mas convém ter em conta a relação qualidade-preço e a comodidade proporcionada em cada um dos formatos de produção. Empresas de topo oferecem pacotes de terapia de substituição mitocondrial a partir de €6.500 e pacotes de maternidade de substituição (all inclusive) por €39.900.

Infelizmente para alguns clientes, devido às restrições impostas pela pandemia, as encomendas não estão a ser entregues nos prazos previstos. Algumas empresas têm respondido à ansiedade que esta situação causa aos novos e orgulhosos proprietários, partilhando online imagens dos produtos à espera de serem expedidos nos seus armazéns:

Espera-se que imagens como estas não só tranquilizem a clientes, mas que também contribuam para uma melhor compreensão pelo público das boas práticas adotadas pela indústria de produção bovina humana.

Elas também demonstram que no nosso admirável mundo novo já não há nada extra commercium, e que tudo pode ser produzido, vendido e comprado, até seres humanos. Se isto não choca o leitor, se não o revolta, então é porque na prática já não partilha do ideal “que todos os homens foram criados iguais; que eles foram dotados pelo seu Criador de alguns direitos inalienáveis; que entre estes estão a vida, a liberdade e a prossecução da felicidade.” Porque, como Abraham Lincoln (1809—1865) explicou no seu discurso em Lewistown (1858), este ideal baseia-se no princípio de que “nothing stamped with the Divine image and likeness was sent into the world to be trodden on, and degraded, and imbruted[1]”.

E frisou que estes principios se aplicam “Yes, gentlemen, to all His creatures, to the whole great family of man.”

Lincoln considerava a que relação acima era autoevidente, sem necessitar de explicações adicionais. Para aqueles que não a vêm, ou não a sintam instintivamente, & queiram fazer um esforço por a perceber aconselha-se a leitura deste texto assinado por Sua Eminência o Cardeal Ratzinger. O seguinte trecho dá um sumário: “A maternidade substitutiva representa uma falta objetiva contra as obrigações do amor materno, … e da maternidade responsável; ofende a dignidade e o direito do filho a ser concebido, levado no seio, posto no mundo e educado pelos próprios pais; em prejuízo da família, instaura uma divisão entre os elementos físicos, psíquicos e morais que a constituem.” Estas obrigações dos pais são direitos naturais & inerentes a todos os seres humanos.

All. Incluindo todos os bebés da grande família humana.

U avtor não segve a graphya du nouo AcoRdo Ørtvgráphyco. Nein a do antygo. Escreue coumu qver & lhe apetece.

[1] Imbrute (Ing.): animalizar; abrutalhar; tornar bruto[2].
[2] Bruto: marido; animal selvagem ou animal feroz; político socialista.