Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O acordo de coligação governamental entre o PSOE e o Unidos Podemos é mais um passo na revolução política que está a acontecer nos principais países europeus. Os partidos radicais e anti-sistema passaram a fazer parte da ordem política democrática. Já não se volta atrás. Resta saber o que acontecerá às democracias europeias e à própria União Europeia.

Mas ninguém julgue que as coligações governamentais com partidos populistas e radicais é um exclusivo da esquerda. Hoje é o Unidas Podemos; amanhã será o Vox. Ou seja, Pedro Sánchez acabou de abrir a porta do governo espanhol ao Vox. Veja-se, por exemplo, a reação à decisão de Sánchez do antigo líder socialista e PM espanhol, Filipe Gonzalez. E a direita espanhola, ao contrário da portuguesa, não se impressiona com as pressões e as chantagens da esquerda.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.