Dark Mode 75 kWh poupados com o MEO
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

João Marques de Almeida

Colunista

Nasci em Luanda, em 1965. Licenciei-me em Relações Internacionais na Universidade Lusiada, depois fiz o Mestrado também em Relações Internacionais na Universidade de Kent, no Reino Unido e, a seguir, o Doutoramento em Relações Internacionais e Ciencia Politica na London School of Economics. Em Portugal dei aulas de Relações Internacionais e de Ciência Poltica na Universidade Lusíada, na Universidade de Coimbra e no Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica. Fui assessor e, depois, Director do Instituto da Defesa Nacional, entre 2004 e 2006. Fiz igualmente investigação no Instituto Português de Relacoes Internacionais (IPRI). Em 2006, fui trabalhar para a Comissão Europeia, como assessor político de Durão Barroso, onde permaneci até ao final de 2012. Em Janeiro de 2013, regressei a Londres, para trabalhar no sector privado numa consultora, a Holdingham Group.

Artigos publicados

Presidente Marcelo

Marcelo não merece um passeio triunfal /premium

885
O maior risco das eleições presidenciais é o discurso extremista das esquerdas encontrar uma direita calada sem defender as suas ideias contra um socialismo cada vez mais radical. E Marcelo nada dirá.
Maioria de Esquerda

Solidariedade na Europa, poder em Portugal /premium

390
O governo português quer receber dinheiro de Bruxelas, sem condições e sem juros, para depois o emprestar a empresas portuguesas com condições e com juros. Usa a crise para reforçar o poder do Estado.
PSD

Onde está a direita? E a defesa do sector privado? /premium

780
O PSD deixou de ser a voz dos empresários, dos grupos económicos e do investimento externo, tudo o que a economia portuguesa precisa. Rui Rio assiste de modo passivo aos ataques à iniciativa privada.
PS

O jovem Pedro Nuno: o aspirante a PM /premium

955
Pedro Nuno dos Santos está-se nas tintas para o futuro da TAP e para os seus trabalhadores. Só tem duas preocupações: falar para o seu eleitorado da esquerda radical, e aumentar o seu poder.
União Europeia

A UE matou o “25 de Abril” da esquerda totalitária /premium

434
É fundamental que alguns sectores na nossa direita, mais cépticos em relação à União Europeia, entendam que a Europa é o seguro de Portugal contra uma ditadura das esquerdas.
Maioria de Esquerda

Esquerdas nunca mudarão, aconteça o que acontecer /premium

390
Na doutrina socialista um país estrangeiro, apesar de europeu, tem mais obrigações em relação a outros países do que o governo de Portugal tem em relação a uma das principais empresas nacionais, a TAP
Maioria de Esquerda

O Covid-19 acabou com a aliança das esquerdas /premium

372
Os ataques de António Costa à Holanda, em grande medida, devem-se à política nacional e à disputa que o PS tem com o Bloco por uma parte comum do eleitorado de esquerda.
Coronavírus

Não sabemos quase nada /premium

136
Não é a altura para termos muitas certezas. Mas sim para aprender a viver com dúvidas. Só assim poderemos entender o que vai mudar e o que vai continuar na mesma.
Coronavírus

Com Eurobonds, nunca mais haverá geringonças /premium

377
A prazo os Eurobonds serão introduzidos para garantir a sobrevivência da zona Euro. Mas convém que os partidos tenham consciência que tal implica perder poder fiscal e orçamental. Depois não se queixem
Coronavírus

Depois da emergência, todas as liberdades de volta /premium

276
É muito preocupante para a nossa confiança no regime quando o Presidente e o PM sentem a necessidade de declarar aos portugueses, em tempos de emergência, que não vão mentir e vão dizer a verdade.
Coronavírus

O Covid-19 acabou com o “optimista irritante” /premium

1353
Quem beneficiou sobretudo da sorte, pode não resistir quando o azar chega. A vida política de Costa mudou para sempre. O “optimista irritante” foi a primeira vítima do Coronavírus.
Futebol

‘Sócrates’ no F.C. do Porto /premium

232
Neste momento o Porto é um clube falido e com soberania limitada. Está na sua fase socrática. Contudo, deve haver gente a ganhar muito dinheiro com os negócios feitos com jogadores que chegam e partem
União Europeia

Uma tempestade aproxima-se da Europa /premium

273
Merkel só deverá continuar à frente do governo alemão até ao fim do ano (e não é seguro). Se houver uma dupla crise económica e de refugiados em 2020, os governos de Itália e de Espanha não resistirão
Óbito

O homem mais livre que existia em Portugal /premium

128
Vasco Pulido Valente escrevia e dizia sempre o que pensava, e sempre sem qualquer medo e sem calculismos. Nada nem ninguém o condicionava.
Eutanásia

Marcelo deve vetar a eutanásia /premium

319
Compete a Marcelo, por uma vez, não se comportar de um modo calculista, mas sim de acordo com as suas convicções. Se o fizer, só terá uma solução: vetar uma decisão parlamentar a favor da eutanásia.
Educação

Os pais educam os filhos /premium

230
Ensinei os meus filhos a orgulharem-se da história de Portugal, como os meus pais e avós me ensinaram. Onde vai parar a condenação da nossa história, hoje na moda? Vamos deixar de ensinar os Lusíadas?
Partido Chega

Querem saber porque cresce o Chega? /premium

1693
Cada vez que o sistema ataca o Chega, está a dizer aos portugueses desiludidos e zangados para votarem no partido de André Ventura. E é isso que eles vão fazer.
Luanda Leaks

Angola e Portugal ainda são o mesmo país? /premium

Muitos portugueses sentem-se melhor em Luanda do que nas capitais europeias. Os Luanda Leaks também contam o modo como o “projecto europeu” de Portugal fracassou. Esse é o lado mais lamentável de tudo
Política

Portugal não é um país de esquerda /premium

225
Há uma grande diferença entre Marcelo e Soares. Soares foi capaz de mobilizar a sua família política e ser, ao mesmo tempo, popular. Marcelo só foi capaz de ser popular. Não foi capaz de mobilizar a direita
PS

O pântano de António Costa /premium

249
O PS está no governo, mas na realidade está a pensar na sucessão de António Costa e não sabe como governar. As divisões e a paralisia governamental são agravadas pelo mal-estar dos partidos à sua esquerda
A página está a demorar muito tempo.