Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Enquanto o Primeiro-Ministro faz passar na comunicação social a ideia de que a «cimeira do Porto» vai resolver algum problema a curto prazo, a DGS criou um «site oficial» sobre o processo de vacinação anti-coronavírus de forma a convencer-nos que está tudo a correr muito bem… Acontece, que ao consultar o «site», este começa mal: está uma semana atrasado! Felizmente, o «Observador» compensa o atraso apresentando dados até 8 do corrente. Mas infelizmente, não indica as vacinações por estratos etários… Ou seja, a dificuldade em saber o que se passa exactamente neste país é tanto mais exasperante quanto as autoridades estatais nos trocam as voltas a fim de camuflar a realidade.

Cruzando os dados atrasados da DGS com os da imprensa, lá se consegue conhecer, com uma semana de atraso, como é que as vacinas estão distribuídas pelas faixas etárias da população. Apesar de os dados da DGS sobre os óbitos por Covid-19 serem imprecisos e sem as necessárias percentagens, lá se consegue saber que a letalidade do vírus está praticamente toda concentrada nas faixas etárias mais idosas, a saber, 65% dos óbitos ocorreram a partir dos 80 anos, 20% dos 70 aos 79 e o resto dos 60 aos 69.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.