Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em política é útil separar as escolhas das regras e instituições em que esta se desenrola, da atividade política ordinária. É esta última que é objeto de combate político mais frequente e em que a polarização esquerda-direita é mais evidente. Tipicamente, a direita quer menos Estado, menos impostos, menos regulação e mais mercado. Dá maior ênfase ao crescimento económico. A esquerda quer um Estado relativamente maior — o que não permite descer impostos –, quer mais regulação e dá mais ênfase à justiça social.

Há, porém, uma outra dimensão nobre da política e da administração. As escolhas sobre as regras e instituições condicionam não só o tipo de atores que participam no jogo político e na atividade administrativa, mas também a forma como nestes participam. Melhorar este hardware da política e da administração do Estado é essencial  para responder aos desafios de 2019 e da próxima década.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.