Pedro Jorge Castro

Diretor-Adjunto

Viciado em investigação histórica nos arquivos. Desse vício saíram dezenas de capas na revista SÁBADO, onde fui redactor-principal de 2007 a 2017; três livros: Salazar e os Milionários, O Inimigo nº 1 de Salazar, e O Ataque aos Milionários (sim, têm sempre Salazar ou Milionários no título); um mestrado no ISCTE; e ainda há-de sair, se acabar a tese, um doutoramento em História Contemporânea na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Comecei em 1997 no vespertino A Capital, passei pelo PortugalDiário, e pelo 24horas (onde fui diretor-adjunto). Fui enviado especial ao sismo no Haiti, à crise dos refugiados na Sérvia, Croácia, Eslovénia, Hungria e Áustria, aos 25 anos da reunificação alemã, a eleições em Espanha e França, ao fim de época glorioso de Mourinho em Itália e aos Jogos Olímpicos da China. Entrei no Observador em Maio de 2017 para coordenar a equipa de vídeo. Em Janeiro de 2018 passei a editor-executivo. E desde Outubro de 2018 sou director-adjunto. Tem sido um privilégio.

Artigos publicados

A página está a demorar muito tempo.