O Presidente norte-americano, Barack Obama, ameaçou o seu homólogo russo, Vladimir Putin, com novas sanções se a Rússia não conseguir pôr fim à entrada de armas na Ucrânia e retirar o seu apoio aos separatistas. Obama emitiu este aviso numa conversa telefónica com Putin, durante a qual instou Moscovo a tomar “medidas concretas” para fazer baixar a tensão naquele país, indicou a Casa Branca.

“Embora acreditemos que uma solução diplomática é ainda possível, a Rússia confrontar-se-á com custos adicionais se não virmos medidas concretas para reduzir a tensão do conflito”, disse o porta-voz da Casa Branca Josh Earnest, citado pela agência de notícias francesa AFP.

Segundo o Kremlin, Putin e Obama debateram hoje por telefone os meios para pôr fim à crise na Ucrânia, e o chefe de Estado russo frisou a importância de um cessar-fogo bilateral e de negociações diretas entre as duas partes em conflito. “Vladimir Putin sublinhou que o real fim dos combates e o início de discussões diretas entre as partes em conflito serão a principal prioridade para a normalização da situação nas regiões do sudeste” da Ucrânia, indicou o Kremlin em comunicado divulgado após a conversa entre os dois Presidentes e citado pela AFP.

Foi a primeira vez que Putin e Obama falaram desde que se encontraram nas cerimónias do 70.º aniversário do Dia D na Normandia, em França, no passado dia 6.