Sem meias palavras, Petro Poroshenko anunciou o fim do cessar-fogo: “Vamos atacar, vamos libertar a nossa terra.” O presidente ucraniano justificou o fim do período de paz com as “ações criminosas” dos militantes pró-russos, que terão perturbado em demasia a estabilidade da região.

Apesar de os dois lados se terem acusado mutuamente de violar a trégua, a verdade é que esta clarificação funciona como uma declaração de guerra contra os militantes que exigem o separatismo e a união com a Rússia.

Este vídeo coloca em contexto o que se passa atualmente na Ucrânia:

[jwplatform lUnhk0eZ]