Um momento de ansiedade, uma distração ou um filme de suspense e sem que nada o fizesse prever o dedo está na boca e os dentes já começam a fazer estragos nas unhas. Para roedores de unhas moderados o problema esconde-se, mas para quem tem dificuldade em conter-se as unhas totalmente roídas acabam por provocar vergonha. Mas porque é que isto acontece?

Por incrível que pareça, parte de um comportamento natural. Os cães raspam as unhas no chão, os gatos lambem-se e os primatas catam-se. Tratar da imagem, não só por motivos estéticos mas também por questões de higiene e saúde, é comum entre os mamíferos, humanos incluidos. E, naturalmente, o homem das cavernas não tinha corta unhas.

Chancellor Gordon Brown     on May 14, 2007 in Southampton, England. Nominations for the Labour leadership contest are to open taday . Gordon Brown is expected to face challengers from the left of the party. *** Local Caption *** Gordon Brown

Roer as unhas até ao limite da pele pode criar uma inflamação dos dedos – Peter Macdiarmid/Getty Images

Roer as unhas, arrancar cabelo a cabelo ou tirar pequenos pedaços de pele podem passar de gestos ocasionais a obsessões – onicofagia, tricotilomania e dermatilomania. São ações que facilmente se podem tornar em hábitos e daí em compulsões — porque dão prazer a quem os realiza. Mas também pode ser motivo de muitos problemas – dedos a sangrar, zonas da cabeça sem cabelo e feridas expostas e dolorosas. Os peritos classificam estas patologias como perturbações obsessivo-compulsivas, tal como ter sempre tudo pela mesma ordem ou estar sempre a lavar as mãos, com a diferença que roer as unhas e arrancar os cabelos e a pele poderem originar momentos de prazer. Os pacientes da psiquiatra da Universidade da Califórnia, em São Francisco, Carol Mathews, dizem que a sensação é agradável e reconfortante, como uma recompensa.

Os comportamentos relacionados com a imagem como roer as unhas começam como um comportamento provocado por uma situação, como conduzir ou ver um filme, mas pode tornar-se um hábito e não precisar de nenhum gatilho. Estes hábitos ou compulsões podem levar a outros problemas de saúde, como inflamação que atinge uma região próxima da unha (paroníquia), mas tal como são identificáveis também são tratáveis.