O ministro da Defesa russo, Serguei Choigu, garantiu hoje ao seu homólogo norte-americano, Chuck Hagel, que não há soldados russos na coluna humanitária enviada por Moscovo para a Ucrânia, indicou o Pentágono. “O ministro Choigu garantiu que não há elementos militares envolvidos na coluna humanitária e que a coluna não está a ser usada como pretexto para uma maior intervenção na Ucrânia”, quando Hagel hoje lhe telefonou, precisou o departamento da Defesa norte-americano.

Hoje à noite, a coluna de ajuda humanitária russa ainda se encontrava retida a cerca de 30 quilómetros da fronteira, à espera de ser inspecionado pelos fiscais de alfândega e pelos guardas fronteiriços ucranianos, que já se encontram no local. A ajuda humanitária encaminhada nos cerca de 300 camiões destina-se às populações do leste da Ucrânia, mergulhado em violentos combates entre forças regulares ucranianas e separatistas pró-russos.

O envio da coluna foi problemático desde a sua partida, na terça-feira, de uma base militar nos arredores de Moscovo, suspeitando a Ucrânia e muitos países ocidentais que esta serviria de cobertura para uma intervenção da Rússia, que já acusam de armar os rebeldes separatistas pró-russos. Na conversa telefónica com Chuck Hagel, Choigu explicou que os “víveres serão distribuídos sob a supervisão do Comité Internacional da Cruz Vermelha e assegurou também a Hagel que a Rússia “está a cumprir as condições exigidas pela Ucrânia”.