O governador do Estado norte-americano do Texas e um dos mais fortes nomes apontados à corrida presidencial de 2016, Rick Perry, vai a julgamento, acusado pela justiça norte-americana de dois crimes de abuso de poder do seu gabinete para forçar a demissão de um funcionário público.

Um grande júri do Estado do Texas decidiu que o governador terá mesmo de ser julgado para determinar se as suas ações saíram da esfera do poder atribuído ao seu gabinete, depois de vetar o financiamento de um departamento anticorrupção que estava sob o controlo de Rosemary Lehmberg, a procuradora de Travis County. Rosemary Lehmberg, que liderava uma unidade de integridade pública encarregue de investigar os responsáveis governamentais a nível local, estadual e federal no Texas, foi detida em meados de 2013, acusada de conduzir sob influência de álcool. Foi mais tarde condenada a 45 dias de prisão.

Rick Perry argumentou então que com a sua prisão se tornava imprópria que Rosemary Lehmberg continuasse a liderar a unidade de integridade pública e usou os seus poderes de veto como governador para bloquear o orçamento de 7,5 milhões de dólares da unidade, numa tentativa de levar a responsável a pedir demissão.

O governador do Texas disse na altura que não podia continuar a financiar um gabinete estatal “numa altura em que a pessoa que devia ter a maior responsabilidade nessa unidade perdeu a confiança do público”.

No entanto, um grupo ativista do Estado do Texas, chamado Texans for Public Justice, apresentou uma queixa contra Rick Perry, alegando que as suas ações violam as leis do Estado contra a coerção e o abuso de poder, o que levou à nomeação de um procurador especial e de um grande júri, que agora decidiu acusar o governador.

Rick Perry continuou a defender as suas ações, mesmo depois de ser conhecida a acusação: “o veto em questão foi feito ao abrigo da autoridade de qualquer governador de acordo com a Constituição do Texas”, disse.

O gabinete de Rick Perry assegurou que a estratégia passa por “continuar a defender de forma agressiva a ação legal e constitucional do governador”.

Esperanças presidenciais em risco?

A altura em que surge esta acusação parece ser a pior para Rick Perry. O governador que mais tempo exerceu funções no Estado do Texas acaba o seu mandato em janeiro, depois de 14 anos no cargo (substituiu George W. Bush) e diz que não se vai recandidatar.

O caminho parece ser as presidenciais norte-americanas, ou pelo menos as primárias republicanas. Depois de uma campanha desastrosa nas primárias republicanas às presidenciais de 2012, Rick Perry lançou uma campanha de relações públicas para melhorar a sua imagem em preparação paras as primárias.

(Uma das maiores gafes das primárias republicanas para as presidenciais de 2012: Rick Perry anuncia extinção de três agências, mas não se lembra de todas as agências que queria extinguir)

Outro dos possíveis candidatos às primárias republicanas, o governador de New Jersey, Chris Christie, também está a ser envolvido num alegado abuso de poder do seu gabinete para punir um rival político.