O ministro da Educação negou esta terça-feira qualquer atraso na divulgação das listas de professores colocados e defendeu que os docentes têm 90 dias para se apresentarem no centro de desemprego, sendo desnecessário irem no primeiro dia.

“Não há atraso na publicação das listas, a colocação de professores tem um processo, são formadas as turmas, são conhecidos os professores, são conhecidas, este ano, as rescisões por mútuo acordo e, a partir dai, as vagas sobrantes são distribuídas num processo que termina, no essencial, antes da abertura do ano letivo”, disse Nuno Crato.

O ministro, que respondia a questões dos jornalistas no final da sessão de abertura da 19.ª Conferência Nacional de Física, a decorrer em Lisboa, insistiu que “é isso que se está a passar este ano”.

“Qualquer pessoa tem 90 dias para se apresentar num centro de emprego, não precisa ir no primeiro dia em que suspeita que pode vir a estar sem emprego apresentar-se no centro de emprego”, defendeu.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Leia também: