O presidente russo Vladimir Putin disse ao presidente da Comissão Europeia Durão Barroso que, se quiser, pode tomar a capital ucraniana em duas semanas. O episódio é relatado pelo jornal italiano La Reppublica, esta segunda-feira.

A conversa aconteceu por telefone e foi relatada por Barroso na cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, no sábado. O ainda presidente da Comissão Europeia questionou Putin sobre o milhar de soldados russos que a NATO afirma estarem a combater em território ucraniano.

“O problema não é esse. É que, se quiser, em duas semanas tomo Kiev”, terá sido a resposta de Putin, conta o La Reppublica. Um aviso em relação a novas sanções. O La Reppublica relata ainda a resposta do primeiro-ministro britânico David Cameron, que alertou para que a Europa não vá ao encontro das pretensões de Putin. “Já tomou a Crimeia e não podemos permitir que tome todo o país, corremos o risco de repetir os erros cometidos em Munique em 1938”, avisou, recordando o Acordo de Munique com Hitler, após a anexação alemã de uma região da Checoslováquia.

Preocupado sobretudo com o “comportamento agressivo” da Rússia, o secretário-geral da NATO anunciou esta segunda-feira a criação de uma equipa “ponta de lança”, pronta a intervir num prazo de 48 horas, e uma presença mais visível no leste da Europa. Serão cerca de 4.000 soldados prontos a entrar em ação sempre que necessário através de ar, mar e forças especiais em terra.