O secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Castro Almeida, garantiu este sábado não haver qualquer atraso na execução do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) nem na preparação do novo quadro comunitário de apoio, Portugal 2020.

“Portugal é o país da União Europeia com a mais elevada taxa de execução do QREN [Quadro de Referência Estratégica Nacional] e foi o segundo país a apresentar em Bruxelas o programa do novo quadro comunitário de apoio”, disse Castro Almeida na 5.ª convenção social-democrata do distrito de Setúbal, a decorrer no cineteatro S. João, em Palmela.

O governante social-democrata comentava, assim, as críticas do candidato socialista a primeiro-ministro e atual presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, que esta semana levantou dúvidas sobre a taxa de execução dos fundos comunitários.

Depois de sublinhar que Portugal tem a taxa de execução mais elevada, Castro Almeida afirmou-se surpreendido com as críticas de António Costa, uma vez que a taxa de execução de fundos comunitários da Câmara Municipal de Lisboa é, disse, de 63,7%, ou seja “vinte pontos percentuais abaixo da média nacional”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Ou o presidente da Câmara Municipal de Lisboa não conhecia as taxas de execução do seu município, o que é estranho, ou então é falta de seriedade política”, disse o governante social-democrata.

Na convenção, o secretário de Estado referiu também que os programas de formação profissional vão ter uma avaliação diferente comparativamente ao que se passou nas últimas décadas, explicando que os fundos serão atribuídos em função do número de empregos que esses programas possam gerar.