As nomeações para os Globos de Ouro já se conhecem, as dos Óscares vão saber-se no dia 15. Já há filmes indicados para os primeiros e que se perfilam para aparecer nas listas de candidatos às estatuetas, acabadinhos de estrear em Portugal ou à beira de chegarem aos cinemas. Fizemos uma lista de 10 títulos que estão ou vão estar nas salas portuguesas muito em breve, e se apresentam como candidatos a ganhar Globos de Ouro e a ser nomeados aos Óscares (há outros que se estrearam antes, caso de “Boyhood”, de Richard Linklater, ou que só aparecerão mais tarde). E que também inclui outras sugestões fora deste baralho de nomeados, nomeáveis e premiáveis.

1. “Caminhos da Floresta” (Rob Marshall)

Johnny Depp, Meryl Streep, Emily Blunt e Tracy Ullman estão entre os intérpretes deste musical com o selo da Walt Disney, adaptado de um dos grandes sucessos da Broadway assinados pelo lendário Stephen Sodheim, com libreto de James Lapine, estreado em 1987. O enredo entrelaça uma série de contos de fadas tradicionais dos irmãos Grimm, caso de “O Capuchinho Vermelho”, “Rapunzel” ou “Cinderela”. Sondheim exigiu o direito de aprovação das variadas alterações que a Disney quis fazer à obra, para a tornar menos violenta, sensual e carregada para as plateias familiares que são a sua clientela. (E a Disney acedeu). Streep faz de Bruxa da Floresta, Depp de Lobo Mau. Há quase 30 anos que este musical está para chegar ao cinema. Nomeado para três Globos de Ouro.

(Em exibição).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Trailer” de “Caminhos da Floresta”

2. “Foxcatcher” (Bennett Miller)

Após “Capote” e “Moneyball”, Bennett Miller traz-nos mais um filme baseado numa história real. Em 1988, o multimilionário John du Pont (Steve Carell), solitário, fisicamente ridículo, emocionalmente amarfanhado, esmagado pela figura da mãe e psicopata, patrocinou e instalou na sua luxuosa propriedade a equipa de luta greco-romana dos EUA, baptizada Foxcatcher, para conquistar ouro nos Jogos Olímpicos de Seoul. O campeão dos jogos de Los Angeles Mark Schultz (Channing Tatum), pobre, solitário, e a precisar de se afirmar face ao irmão, foi contratado para a liderar. Miller filma uma tragédia americana sobre diferenças sociais e económicas, poder e frustrações pessoais, e sobre rituais colectivos e intemporais de competição e submissão entre os homens. Nomeado para três Globos de Ouro.

(Em exibição).

“Trailer” de “Foxcatcher”

3. “Birdman (Ou a Inesperada Virtude da Ignorância)” (Alejandro González Iñarritu)

Riggan Thomas, um actor que se tornou famoso por ter interpretado o super-herói Birdman numa série de filmes campeões de bilheteira nos anos 80, e que depois soçobrou em produções medíocres, tenta voltar à mó de cima e conquistar respeitabilidade cultural em Nova Iorque, adaptando ao teatro na Broadway uma obra de Raymond Carver, metendo nela o dinheiro que tem e que não tem, e interpretando o principal papel. Michael Keaton personifica Thomas e o filme joga com o facto dele ter sido o primeiro Batman no cinema nos dois filmes de Tim Burton. Também com Edward Norton, Naomi Watts e Emma Stone. Nomeado para sete Globos de Ouro.

(Estreia-se dia 8).

“Trailer” de “Birdman”

4. “Rosewater – Uma Esperança de Liberdade”

Jon Stewart (sim, esse mesmo) estreia-se a realizar com esta história real do jornalista iraniano-canadiano Mazihar Bahari, que em 2009 esteve preso durante 118 dias no Irão. Bahari foi acusado de ser espião dos EUA, após ter dado uma entrevista ao”The Daily Show” de Stewart, onde criticava o regime iraniano após as eleições presidenciais. O argumento do filme foi escrito por Jon Stewart, que também é um dos produtores, e as filmagens tiveram lugar na Jordânia. Bahari é interpretado por Gael García  Bernal. O elenco inclui também vários actores e actrizes iranianos que tiveram que deixar o seu país ou escolheram ir instalar-se no estrangeiro.

(Estreia-se dia 8).

“Trailer” de “Rosewater”

5. “O Jogo da Imitação” (Morten Tyldum)

O inglês Benedict Cumberbatch, o actor que nesta altura parece estar em todo o lado, entre filmes, televisão e teatro, nos EUA e no Reino Unido, interpreta aqui o papel de Alan Turing o brilhante matemático e pioneiro da inteligência artificial, quando liderou um grupo de analistas e decifradores de códigos secretos dos alemães durante a II Guerra Mundial, em Bletchley Park. Turing suicidou-se em 1954, após ter sido julgado e condenado por actos homossexuais, e submetido a um tratamento químico que o tornou impotente e lhe causou deformações físicas. O filme apoia-se na biografia de Andrew Hodges “Alan Turing: the Enigma”. Nomeado para cinco Globos de Ouro.

(Estreia-se dia 15).

http://youtu.be/S5CjKEFb-sM

“Trailer” de “O Jogo da Imitação”

6. “Sniper Americano” (Clint Eastwood)

Mais uma história real, esta escolhida por Clint Eastwood para o seu novo filme como realizador. Chris Kyle era um atirador especial dos SEAL que fez quatro comissões no Iraque, tornando-se no homem com mais mortes confirmadas na sua especialidade de toda a história militar dos EUA: 160 em 255 prováveis. Condecorado várias vezes, foi alcunhado “ A Lenda” pelos seus camaradas e teve a cabeça a prémio pelo inimigo, que lhe chamava “O Demónio de Ramadi”. Mas quando voltou a casa para a família, Kyle descobriu que a guerra lhe tinha deixado feridas invisíveis mas profundíssimas, muito difíceis de curar. Eastwood baseou-se na autobiografia de Chris Kyle, aqui interpretado por Bradley Cooper. “Sniper Americano” é um filme sobre a guerra, e o depois da guerra.

(Estreia-se dia 22).

“Trailer” de “Sniper Americano”

7. “Uma Dívida de Honra” (Tommy Lee Jones)

Depois de “Os Três Enterros de um Homem”, premiado no Festival de Cannes de 2005, Tommy Lee Jones assina o seu segundo filme como realizador, que também interpreta, tendo ainda co-assinado o argumento. É um “western” muito realista, onde  Jones faz o papel de um “cowboy” muito pouco frequentável que é contratado por uma fazendeira solteirona, religiosa e determinada (Hilary Swank) para a ajudar a transportar numa caravana, de volta ao Leste, três jovens mulheres que enlouqueceram por causa da dureza da vida no Oeste, em meados do século XIX. Pelo caminho, encontram índios, bandidos e outros perigos.

(Estreia-se dia 22).

“Trailer” de “Uma Dívida de Honra”

8. “O Meu Nome é Alice” (Richard Glatzer/Wash Westmoreland)

Em 2007, uma neurologista americana chamada Lisa Genova escreveu um romance, “Still Alice”, sobre Alice Howland uma professora de Harvard e mãe de três filhos, que descobre que sofre de Alzheimer. Publicado em 2009, o livro tornou-se num “best-seller” elogiado pela crítica pelo seu realismo, e por não seguir os caminhos fáceis do melodrama na descrição da forma como a doença afecta a vida pessoal, familiar e profissional da protagonista. Julianne Moore interpreta o papel de Alice Howland e Alec Baldwin o do seu marido nesta adaptação ao cinema. Nomeado para um Globo de Ouro.

(Estreia-se dia 22)

“Trailer” de “O Meu Nome é Alice”

9. “A Teoria de Tudo” (James Marsh)

Quem diria que a vida pessoal de Stephen Hawking seria transformada num filme? “A Teoria de Tudo” baseia-se no livro escrito por Jane Wilde Hawking, a primeira mulher do autor de “Uma Breve História do Tempo”, que esteve casada com ele entre 1965 e 1995. Ela conta, em “Travelling to Infinity: My Life With Stephen Hawking”, como conheceu o futuro marido quando ambos estudavam em Cambridge na década de 60, o seu casamento e vida em comum, a doença que atingiu e incapacitou fisicamente Hawking, a sua dedicação ao marido e a triunfal carreira profissional deste. Tudo foi transposto para este filme onde Hawking é personificado por Eddie Redmayne e Jane por Felicity Jones. Candidato a quatro Globos de Ouro.

(Estreia-se dia 29)

“Trailer” de “A Teoria de Tudo”

10. “Olhos Grandes” (Tim Burton)

Tim Burton é um grande apreciador e coleccionador dos quadros da pintora americana Margaret Keane, que nos anos 50 se tornou num fenómeno nos EUA por causa dos seus retratos de crianças, mulheres e animais com grandes olhos, produzidos em massa e vendidos por toda a parte. Os quadros eram pintados por Margaret e assinados e comercializados pelo marido Walter, que se apresentava em público como o autor. Quando Margaret revelou que era ela a artista, o casamento acabou e o caso foi para tribunal. Burton filma a história de Margaret Keane e do seu conflito com o marido em “Olhos Grandes”, com Amy Adams e Christoph Waltz nos papéis principais. Candidato a três Globos de Ouro.

(Estreia-se a 26 de Fevereiro).

“Trailer” de “Olhos Grandes”