A concentração é promovida pela Federação Nacional dos Professores (FENPROF), que na semana passada manifestou também solidariedade para com os docentes que prestam serviço nas escolas artísticas privadas e que se encontravam com ordenados em atraso.

Os professores que hoje se manifestam reclamam a contagem de todo o ano de serviço, justificando que os atrasos verificados na colocação (depois de 15 de setembro) são “da exclusiva responsabilidade” do Ministério da Educação.

“Porém, este, não o assumindo, pretende quebrar a sequência de anos de serviço com implicações diretas no futuro profissional destes docentes”, defende a federação de sindicatos.

O protesto decorre esta manhã frente às instalações do Ministério da Educação na avenida 05 de outubro.

A FENPROF anunciou, entretanto, que foi convocada para uma reunião no ministério para abordar a organização do próximo ano letivo, uma matéria para a qual reclama a abertura de um processo negocial.