Rádio Observador

Finanças Públicas

Défice público de Espanha em 2014 foi de 5,7%, duas décimas acima do objetivo

Défice público de Espanha em 2014 foi de 5,7% do PIB, duas décimas acima do objetivo fixado pelo Governo espanhol, mas abaixo do limite imposto pela Comissão Europeia.

"A Espanha cumpre os seus compromissos económicos", afirmou Soraya Sáenz de Santamaría

AFP/Getty Images

O défice público de Espanha em 2014 foi de 5,7% do PIB, duas décimas acima do objetivo fixado pelo Governo espanhol, mas abaixo do limite imposto pela Comissão Europeia. “A Espanha cumpre os seus compromissos económicos e num contexto de aceleração da economia”, declarou nesta sexta-feira a vice-presidente do Governo espanhol, Soraya Sáenz de Santamaría, na conferência de imprensa que se seguiu ao Conselho de Ministros.

A vice-presidente, que também é porta-voz do Executivo, sublinhou que a “Espanha está entre os países da UE que mais crescem” e realçou que isso “é fruto do plano reformista do Governo”. A Comissão Europeia tinha fixado nos 5,8% do PIB o limite para o défice público espanhol.

Presente na conferência de imprensa, o ministro das Finanças espanhol, Cristóbal Montoro, explicou que o défice de 5,7% já inclui a devolução de um imposto sobre vendas a retalho de hidrocarbonetos que o Tribunal Superior de Justiça da UE considerou ilegal em fevereiro de 2014. Este imposto foi aprovado em 2002. Esta medida “one off” (ou seja, que tem impacto nas contas apenas uma vez) custou ao Estado espanhol 1,699 mil milhões de euros. Sem esta medida excecional, disse Montoro, o défice espanhol teria sido de 5,56%.

Face ao exercício de 2013, o Estado espanhol reduziu o seu défice em seis décimas (5,7% em 2014 contra os 6,33% do PIB no ano anterior). Nas explicações sobre o défice, o Governo espanhol adiantou que as comunidades autónomas foram as que menos cumpriram os objetivos, com um défice de 1,66% do PIB (quando tinham um objetivo de 1%). Já a Administração Central, que inclui o Estado e a Segurança Social somou um défice de 4,6% (apenas uma décima acima da meta).

Em Espanha, apenas as comunidades de Navarra, Canárias, País Basco e Galiza cumpriram o objetivo de défice público em 2014. Por outro lado, quatro autonomias – Múrcia, Catalunha, Extremadura e Comunidade Valenciana – tiveram o dobro do desvio permitido, ou seja 2% do PIB.

 

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira
1.235

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Cooperação económica

De braço dado com Angola

José Manuel Silva

O momento político angolano é propício à criação de laços baseados na reciprocidade e na igualdade de tratamento, sem complexos de nenhuma espécie. A história foi o que foi, o presente está em curso.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)