Trinta e três anos passaram até o “pesadelo nacional finalmente terminar”. Sim, as aspas ajudam e denunciam que a frase não é nossa. Não é mesmo, porque saiu primeiro das vozes de Gerard Ford, Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama. E quando três antigos presidentes dos EUA se juntam ao atual para, juntos, suspirarem de alívio com a mesma frase, é porque algo importante vai acontecer. Era mesmo: David Letterman estava prestes a apresentar pela última vez o Late Show.

E ter quatro pessoas que já lideraram um país a despedirem-se de quem liderou um programa de televisão também é sinal de uma coisa — de que o apresentador é um ícone da televisão norte-americana. Foi assim, com um vídeo de Ford, Clinton, Bush e Obama a proferirem a mesma frase (“Finally, our national nightmare is over”), que arrancou, na quarta-feira, o último episódio do programa que tinha Letterman como anfitrião desde 1982.

https://www.youtube.com/watch?v=zQklH53Dc8c

Foram mais de 6 mil episódios que deram muito ao programa. As centenas de conversas animadas com caras conhecidas, como a de Bill Murray, o primeiro convidado do programa que, por simbolismo, também esteve no penúltimo (porque não último?). Os momentos musicais ou mini-concertos, como o que os Foo Fighters protagonizaram.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Isso sim foi especial. Porquê? Além de serem a banda preferida de Letterman, chegaram a cancelar uma digressão pela América do Sul, em 2000, para atuarem no programa que marcou o regresso do apresentador, após ser submetido a uma cirurgia ao coração. “A minha banda favorita a tocar a minha canção favorita”, disse, na altura.

https://www.youtube.com/watch?v=aq2AZY-qaPY

Durante as últimas semana foram vários os artistas de renome que por lá passaram: Bob Dylan, Tom Waits ou Eddie Vedder são três exemplos. E todos já lá tinham estado antes, no estúdio do bairro de Manhattan, em Nova Iorque. No derradeiro episódio, David Letterman lembrou de tudo um pouco: dos primórdios do programa, dos convidados que teve, do público que sempre lhe foi dando elevadas audiências e das aventuras pelas quais foi passando. Pelo meio ia deixando agradecimentos salpicados, claro, com humor.

Como o último que montou para se despedir e encerrar o programa, quando se virou para a plateia em estúdio e disse: “Já pensaram em fazer uma avaliação psicológica? Às pessoas que veem este programa, não há nada que alguma vez possa fazer que seja suficiente para vos recompensar. Obrigado por tudo. Vocês deram-me tudo.” De nada, Letterman, também sempre foste dando de volta.