Na terça-feira, durante o discurso de apresentação da sua candidatura à presidência dos Estados Unidos da América, Donald Trump acusou o México de levar “drogas e violadores” para o país. “Os Estados Unidos tornaram-se numa lixeira para os problemas dos outros”, disse o empresário. Miguel Angel Osorio Chong, Secretário do Interior mexicano, já respondeu aos comentários.

Ao contrário dos outros candidatos, que têm procurado atrair a atenção da comunidade latino-americana, Trump não poupou críticas (e comentários xenófobos) aos imigrantes mexicanos. No discurso, considerado “excêntrico” pelo Guardian, Trump acusou o país vizinho de “enviar pessoas que têm muitos problemas”, que depois os “trazem para cá”.

“[O México] está a enviar pessoas que têm muitos problemas, e que trazem esses problemas para cá. Trazem drogas, crime e violadores“, disse o empresário no discurso de terça-feira.

De modo a impedir que as “drogas” e os “violadores” entrem nos Estados Unidos, Trump pretende construir um muro ao longo da fronteira mexicana. “Os Estados Unidos tornaram-se numa lixeira para os problemas dos outros”, referiu. Trump, que pela primeira vez formalizou uma candidatura a presidente dos EUA, garante que, se for eleito, irá ressuscitar o sonho americano. “Infelizmente, o sonho americano está morto. Mas, se for eleito, irei trazê-lo de volta. Maior, melhor e mais forte do que nunca”.

Desde terça-feira que não têm parado de chover críticas. Lisa Navarrete, porta-voz da La Raza, a maior organização latina de direitos civis, foi uma das primeiras pessoas a comentar a situação. Trump é “um homem extremamente parvo” com uma “necessidade patológica por atenção”, disse ao Guardian. Miguel Angel Osorio Chong, Secretário do Interior mexicano, também já comentou publicamente as palavras do empresário norte-americano, refere o El País.

Para Osorio Chong, os comentários de Trump foram “absurdos e tendenciosos”. “O senhor Trump desconhece a contribuição de todos os migrantes, de quase todas as nações do mundo, para o desenvolvimento dos Estados Unidos”, disse o Secretário do Interior.