Os dias estão a ficar mais curtos e menos quentes, mas as refeições ao ar livre, pelo menos durante o fim-de-semana, ainda lhe vão saber bem. Isto se não tiver um grupo de moscas a infernizar-lhe a refeição. Pode tentar enxotá-las o mais rapidamente possível, mas se as deixar pousar nem que seja um segundo já terão espalhado os milhões de bactérias que têm nas patas. Não se preocupe. Esqueça o que viu e continue a desfrutar da refeição tranquilamente.

Os cinco milhões de bactérias transportadas nas patas de uma mosca, que alterna entre as fezes de um animal e o nosso peixe e que volta a qualquer matéria putrefacta e depois à nossa sopa, não são absolutamente desprezáveis. Mesmo que nem os guardanapos com que depois limpamos a boca estejam a salvo. Segundo o jornal espanhol El País, desde que a comida esteja cozinhada não tem com o que se preocupar. Agora se as bactérias forem deixadas sobre um alimento não cozinhado e se criarem condições para estas se desenvolverem – humidade elevada e temperaturas altas o suficiente (como quando deixamos a comida fora do frigorífico) –, aí sim, tenha mais cuidado.

Enrique Baquero, zoólogo e investigador de Biologia Ambiental e Biodiversidade da Universidade de Navarra, citado pelo El País dá exemplos. Se a mosca cair no ovo que está a bater para fazer uma omolete, escolha outro ovo e outro recipiente e comece tudo de novo. Não se arrisque a comer aquele. Mas se a mosca pousar na fruta não se preocupe, o açúcar atrasa o desenvolvimento de bactérias e de qualquer forma nunca se criam condições tão propícias para micróbios como na carne ou peixe cru.

Os cuidados de higiene na preparação dos alimentos e no seu acondicionamento, assim como o cozinhá-los convenientemente, podem evitar alguns problemas, mas se a mosca se decidir a pousar-lhe no prato não tem como evitar ser presenteado com uma série de micróbios indesejáveis. Mas se a ingestão de bactérias nos deixasse imediatamente doentes, era assim que andaríamos o tempo todo. Para que nos serviria o sistema imunitário?

Também o intestino tem um papel a desempenhar. Já deve ter ouvido falar da flora intestinal e de que uma flora intestinal saudável fará de si um indivíduo mais saudável também. Ora esta flora intestinal está carregada de bactérias  – ditas “boas” – que têm um papel importante na digestão, mas também uma acção relevante no combate a bactérias estranhas e patogénicas (que causam doenças). Se uma bactéria, um vírus ou um parasita perturbar este equilíbrio da flora intestinal o resultado pode ser uma diarreia. Mantenha-se hidratado e tome os medicamentos apropriados e tudo se resolverá.

E se as baratas lhe provocam ainda mais nojo do que as moscas fique sabendo que elas não se alimentam de alimentos putrefactos nem andam na imundice. Até podem transportar tantos micróbios como as moscas, mas nem de perto têm tanta facilidade em chegar ao nosso prato.