A Alphabet, que substituiu a Google na bolsa, destronou a Apple na lista das companhias cotadas mais valiosas do mundo. Na abertura da sessão bolsista em Nova Iorque, às 14h30 de Portugal continental, a cotação na bolsa da Alphabet avaliava-a em 499 mil milhões de euros, mais do que os 488 mil milhões de euros da Apple à mesma hora.

Os primeiros negócios do dia confirmaram o que apontavam as operações efetuadas sobre as ações da Alphabet e da Apple durante os horários alargados de negociação na noite de ontem e na manhã desta terça-feira. As ações da Alphabet abriram a subir 4,18% para o máximo histórico de 783,40 dólares (721,24 euros), enquanto os títulos da Apple estavam a descer 1,07%.

Desde agosto de 2011 que a Apple era a companhia mais valiosa do mundo, embora, em alguns momentos nos primeiros meses a petrolífera Exxon Mobil se pusesse à frente do pelotão.

Apple vs Google

Evolução do valor de mercado da Apple e da Alphabet (ex-Google) desde agosto de 2004

A Apple, a fabricante dos telefones iPhone, tem estado sob pressão na bolsa. Na apresentação de resultados do primeiro trimestre fiscal (que terminou a 26 de dezembro), Tim Cook, o presidente da companhia californiana, avisou que as vendas do trimestre seguinte poderiam cair pela primeira vez em 13 anos.

Alphabet em alta

Enquanto o abrandamento económico da China e a valorização do dólar norte-americano prejudicam o negócio da Apple (que, além de iPhones, produz os tabletes iPad, os computadores Mac e os relógios Apple Watch), o negócio de publicidade da Alphabet segue em alta.

EDP é a maior portuguesa

Mostrar Esconder

A lista das empresas mais valiosas do mundo é dominada pelos Estados Unidos da América. Apenas na 11.ª posição surge a primeira firma europeia, a suíça Nestlé, e, logo a seguir, a primeira asiática, a China Mobile. A EDP é a mais valiosa na bolsa portuguesa.

Valor de mercado em milhões de euros
1.º Alphabet 499.158
2.º Apple 487.511
3.º Microsoft 396.843
4.º Facebook 300.420
5.º Berkshire Hathaway 292.176
6.º Exxon Mobil 291.261
7.º Johnson & Johnson 264.844
8.º Amazon.com 248.207
9.º General Electric 247.891
10.º Wells Fargo 233.936
11.º Nestlé 216.852
12.º China Mobile 206.651

895.º EDP 11.945

Fonte: Bloomberg

Ontem, após as bolsas nova-iorquinas terem fechado, a Alphabet apresentou os seus resultados anuais. As vendas do grupo aumentaram 18% face a 2014. “O nosso muito forte crescimento das receitas no quarto trimestre reflete o dinamismo do nosso negócio, conduzido pelas pesquisas nos aparelhos móveis bem como pelo YouTube e pela publicidade programada, tudo áreas em que temos investido durante muitos anos”, comentou Ruth Porat, a administradora financeira da Alphabet.

“Os resultados centrais da Google continuam a impressionar”, escreveram os analistas Mark May e Ryan Ripp numa nota enviada nesta manhã aos clientes do Citi. Tal como a maioria dos analistas que acompanham as ações da Alphabet, a dupla de analistas calcula um preço-alvo superior a 830 dólares (764,14 euros), o que colocaria o valor de mercado da sociedade nos 530 mil milhões de euros. No seu pico, em abril do ano passado, a Apple valia 708 mil milhões de euros.

Em agosto passado, Larry Page, o presidente da Google, anunciou uma reestruturação através da qual a companhia cotada passou a designar-se Alphabet. Esta sociedade inclui não só o negócio da Google (essencialmente a venda de publicidade na Internet) mas também as operações na área da saúde e biotecnologia (está a desenvolver lentes de contacto inteligentes), os laboratórios mais experimentais (nos quais estão a trabalhar na entrega de compras via drones) e a unidade de capital de risco (que investiu, por exemplo, na Unbabel, uma firma de tradução de origem portuguesa).