A agência europeia para a proteção das fronteiras comunitárias, a Frontex, prevê realizar este outono “provas de resistência” em vários países, à semelhança das já feitas na banca, segundo noticia este domingo um jornal alemão.

O diretor da Frontex, Fabrice Leggeri, explicou em declarações ao diário alemão Welt am Sonntag, que a Frontex quer testar as condições de segurança dos troços transfronteiriços em diferentes países para aferir qual seria a resposta desses países em situações críticas.

“Queremos ver como é que os países membros estão preparados para reagir perante uma crise nas fronteiras exteriores da União Europeia”, disse Leggeri.

A informação que resultar destes testes vai ser também confrontada com cenários negativos distintos, tal como já é feito no caso dos maiores bancos do sistema financeiro europeu.

O jornal alemão adianta que entre os países que serão analisados estão a Alemanha, a Grécia, a Finlândia, a Roménia e a Eslovénia, ainda que não fique excluída a realização destas provas a outros países, por exemplo, na fronteira mediterrânica.

Para ajudar os países na proteção das fronteiras externa da União Europeia, a Frontex tem neste momento missões em Itália, Malta, Espanha e Grécia.

Na sequência da crise dos refugiados, os membros da União Europeia a reforçarem os controlos fronteiriços e colocaram na agenda política comunitária a necessidade de usar as fronteiras externas como forma de preservar a livre circulação no espaço Schengen.