O presidente do PSD já pediu ao deputado (e vice-presidente da bancada) social-democrata Sérgio Azevedo que se explique sobre a viagem que fez à China em fevereiro de 2015, com estadia e voos pagos pela empresa de telecomunicações Huawei. “Espero que seja rápido”, avisou Pedro Passos Coelho.

A notícia foi avançada pelo Observador esta quinta-feira. Sérgio Azevedo viajou, na companhia de Ângelo Pereira, vereador do PSD na câmara de Oeiras e candidato nas próximas autárquicas, e Luís Newton, presidente da Junta de Freguesia da Estrela (também do PSD), até à China. A empresa chinesa convidou o autarca de Lisboa para uma apresentação “a técnicas da empresa” e Newton convidou Azevedo e Pereira para irem com ele.

O deputado não é o primeiro político a viajar a convite de uma empresa. Mas Sérgio Azevedo diz que esta é uma situação diferente do chamado Galpgate. Apesar de os ingredientes serem em tudo semelhantes — titulares de cargos políticos que embarcam numa viagem a convite de empresas privadas, com maioria das despesas pagas por essas mesmas empresas –, o deputado sublinhou, em declarações ao Observador, que foi “dar força a um amigo, assistir à apresentação dele”. E fez a ressalva: “Não fui como deputado, não fui em missão oficial nem em missão parlamentar.”

Este sábado, Passos reagiu à notícia. “Creio que lhe deve caber uma palavra de esclarecimento e eu, de resto, já tive ocasião de lhe pedir que fizesse esse esclarecimento“, disse Passos. O líder do PSD acredita que possam não ter sido violados quaisquer pressupostos éticos, mas vai dizendo que espera que Sérgio Azevedo — que está de novo na China — “seja rápido” nas explicações.

O assunto deve ser analisado pelas entidades às quais “compete analisar se houve ou não houve alguma coisa que não seja mais correta ou que configure alguma irregularidade”, diz Passos. Se se comprovar que está em causa um eventual crime, o presidente do PSD promete ação: “Nós devemos tirar consequências disso.”

As viagens oferecidas pela Huawei não ficam por aqui. Meses antes deste episódio envolvendo o deputado, o autarca e o vereador candidato às próximas eleições, Paulo Vistas — presidente da Câmara Municipal de Oeiras esteve na China para participar num “congresso sobre smart cities organizado pela empresa em questão, além de ter também participado num encontro institucional para apresentar Oeiras à Huawei e mostrar o interesse em acolher esta empresa no nosso concelho”. Foi o próprio quem assumiu a deslocação, em declarações ao Observador.

A notícia surge no momento em que vários ex-secretários de Estado socialistas, além de deputados do PSD, estão a ser investigados pelo Ministério Público por terem aceitado viajar para França para assistir a jogos da seleção nacional no Euro2016.