Obrigado por ser nosso assinante. Pode ler este e todos os artigos do Observador em qualquer dispositivo.

A presidência síria divulgou no twitter este vídeo de 9 segundos a mostrar Assad a entrar calmamente no seu gabinete esta manhã, sozinho, depois dos bombardeamentos conjuntos de EUA, Reino Unido e França desta madrugada.

[jwplatform 2ZcZPDf0]

Entretanto, centenas de sírios concentraram-se este sábado de manhã nas principais praças da capital, Damasco, a buzinar os carros e a empunhar bandeiras sírias, russas e iranianas, enquanto clamavam vitória, depois dos bombardeamentos conjuntos de EUA, França e Reino Unido desta madrugada, segundo a Associated Press.

“As boas almas não vão ser humilhadas”, tweetou a presidência síria depois dos ataques.

Músicas nacionalistas ecoavam de altifalantes instalados em carros que desfilavam, enquanto centenas de manifestantes batiam palmas, dançavam ou gritavam palavras de apoio ao ditador: “Somos os teus homens, Bashar”.

EUA, Reino Unido e França bombardeiam a Síria

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A agência de notícias síria publicou uma declaração onde deu conta de que o ataque começou às 3h55 (hora local) e contou com aproximadamente 110 mísseis disparados contra alvos no país, mas que o regime conseguiu responder e interceptar “a maioria dos mísseis”. O comunicado promete que as forças armadas sírias vão continuar a lutar contra o “terrorismo”.

Segundo o canal estatal sírio, três civis ficaram feridos na sequência do ataque a uma base militar em Homs. O canal de televisão confirma ainda que ficou destruído edifício onde se encontrava o centro de pesquisa e o laboratório.

“Tivemos um aviso dos russos sobre o ataque e todas as bases militares foram evacuadas há alguns dias”, disse à Reuters uma fonte ligada ao regime.