Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Roman Abramovich está impedido de trabalhar no Reino Unido, uma vez que as autoridades britânicas ainda não renovaram o seu visto de residente. O bilionário russo, que é dono do Chelsea, obteve a cidadania israelita esta segunda-feira e vai mudar-se para Telavive, mas o novo passaporte apenas permite que Abramovich permaneça no Reino Unido com o estatuto de visitante, e por um período máximo de seis meses, confirmou um porta-voz de Theresa May citado pelo The Guardian: “Os  cidadãos israelitas têm que obter um visto se quiserem viver, trabalhar ou estudar no Reino Unido”.

Tudo começou quando o visto de Abramovich expirou entre abril e maio, sem que as autoridades britânicas renovassem o mesmo. O bilionário russo, que é a 13.º pessoa mais rica do Reino Unido com uma fortuna avaliada em 10,6 mil milhões de euros, teria que explicar a origem da sua fortuna para conseguir um novo visto para residir e trabalhar em território britânico — o que foi visto como uma forma de retaliação da Grã-Bretanha contra a Rússia a propósito do caso Skripal.

Daí Abramovich ter procurado uma nova cidadania de um país com relações especiais com o Reino Unido, de forma a regressar a Londres. Sendo judeu, Israel foi a escolha natural, pois concede a cidadania a qualquer judeu que deseje mudar-se para o país e o passaporte normalmente é emitido logo depois de o pedido ser efetuado.

O ministro do Interior de Israel confirmou a atribuição da cidadania a Abramovich na segunda-feira: “Roman Abramovich foi à embaixada israelita em Moscovo como qualquer outra pessoa. Fez o pedido para receber uma autorização de imigração, os documentos foram verificados de acordo com a lei e ele foi considerado elegível”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As declarações do porta-voz da primeira-ministra Theresa May acabam, contudo, por constituir um revés para essa estratégia. Não se sabe quando é que as autoridades britânicas vão emitir novo visto para residente e as fontes do The Guardian afirmam que o processo está a demorar mais que o habitual, pelo que poderá tratar-se de uma retaliação.

Desde que Sergei Skripal, um agente duplo russo radicado em Londres, foi assassinado em março, as relações britânicas com a Rússia estão tremidas, porque o Reino Unido acusa o Kremlin de estar por detrás do sucedido.

Abramovich com visto caducado. Retaliação do Reino Unido contra os russos?