Rádio Observador

Caso Ricardo Robles

Prédio de Robles era para alojamento local. Veja aqui o anúncio da Christie’s

2.477

O polémico prédio em Alfama do vereador do Bloco de Esquerda e da irmã, comprado por 347 mil euros e posto à venda por 5,7 milhões, referia potencial para "short term rental" (alojamento local).

Ricardo Robles é vereador com as áreas da Educação, Saúde, Direitos Sociais e Cidadania na Câmara de Lisboa, pelo Bloco de Esquerda

O prédio em Alfama de Ricardo Robles e da irmã, esteve à venda na Internet com a descrição de que os “apartamentos estão prontos para serem utilizados em short term rental”, avança o jornal Público. No mesmo anúncio, que foi retirado da Web, é referida a “oportunidade única em área turística no coração de Lisboa”. O Observador teve acesso ao anúncio e mostra-lhe aqui a imagem onde, para além da fachada do edifício, é também possível vislumbrar o interior.

A polémica estalou esta sexta-feira, depois de o Jornal Económico noticiar que o bloquista acérrimo opositor da especulação imobiliária, tinha, em 2014, comprado com a irmã, um prédio em leilão à segurança social por 347 mil euros para, depois de remodelações, o ter colocado à venda por 5,7 milhões através de uma agência imobiliária. Segundo o anúncio, o prédio é composto por 11 apartamentos, sendo o maior de 41 metros quadrados e os restantes de 35, 33, 31, 30, 29, 28 e 25.

Além dos apartamentos, o prédio tem também três lojas para a Rua do Terreiro do Trigo. Todas as frações para habitação têm “cozinha equipada, vidro duplos, ar condicionado e piso em madeira tábua corrida”. No total o edifício tem 728 metros quadrados, fazendo com que o preço pedido seja de cerca de 7830 euros por metros quadrado, um valor bastante superior ao preço médio por metro quadrado praticado em Lisboa. O político tem também um apartamento para arrendar por 1300 euros.

Questionado pelo mesmo meio, Ricardo Robles afirmou que não tinha poder para que quem vendesse a habitação promovesse rendas de longa duração: “Os contratos de venda são tipificados. Assumem-se responsabilidades do ponto de vista legal e pronto. Julgo que não é possível condicionar uma venda para uma utilização futura.” A imobiliária responsável pela venda do imóvel é a Christie’s, escreve o Público, especializada na venda de edifícios de luxo. O autarca afirmou ainda esta sexta-feira, em conferência de imprensa, que “quem definiu o valor da venda foi a própria agência imobiliária”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Eleições Legislativas

Afluir de Rio em Costa instável

Gonçalo Sobral Martins

O líder do PSD fez ver que Portugal não soube aproveitar uma conjuntura externa extraordinária: apesar dos juros do BCE e do crescimento económico da zona-euro, nada melhorou substancialmente.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)