A Comissão Europeia iniciou uma investigação formal para apurar se houve formação de cartel entre BMW, Daimler e o grupo Volkswagen (VW)no desenvolvimento tecnologias de energia limpa que permitem reduzir as emissões poluentes nos carros das respetivas marcas.

“A Comissão Europeia está a investigar se a BMW, a Daimler e a VW chegaram a acordo para não competirem umas contras as outras no desenvolvimento de sistemas importantes de redução de emissões poluentes em carros a gasolina e diesel”, afirmou a comissária europeia para a Concorrência, de acordo com um comunicado de Bruxelas divulgado na manhã desta terça-feira. Para Margrethe Vestager, “se se confirmarem as suspeitas, esse conluio poderá ter negado aos consumidores a oportunidade de comprar carros menos poluentes, apesar da tecnologia estar disponível aos seus fabricantes”.

Esta investigação aprofundada iniciada agora pelas autoridades europeias “concentra-se em informação de que a BMW, Daimler, VW, Audi e Porsche participaram em reuniões nas quais foi discutido o desenvolvimento de tecnologias para reduzir as emissões de gases”, lê-se no comunicado. Uma prática que, a confirmar-se, constitui uma violação das regras europeias que proíbem a cartelização e outras práticas restritivas e lesivas de uma livre concorrência no mercado. A comissária responsável por esta área definiu como “prioritária” a investigação aprofundada a este processo de alegado cartel entre as empresas alemãs, embora não tenha para já dados concretos que confirmem as suspeitas de cartel.

Em causa, de acordo com o mesmo comunicado, estão em causa dois tipos de tecnologia: SCR, um sistema que reduz a emissão de óxidos de nitrogénio dos carros com motores a gasóleo; OPF, um sistema de filtros que diminui as emissões de partículas nocivas nos carros a gasolina.