Las Vegas

Freiras desviaram fundos de escola católica para jogar em Las Vegas

804

Duas freiras norte-americanas, já reformadas, admitiram ter desviado fundos escolares estimados em 500 mil dólares para ir jogar para os casinos de Las Vegas.

As freiras norte-americanas desviaram cerca de 500 mil dólares para fazerem viagens aos casinos de Las Vegas.

LUSA

Duas freiras norte-americanas admitiram ter desviado fundos escolares estimados em 500 mil dólares para viajar até aos casinos de Las Vegas, anunciou na segunda-feira a arquidiocese de Los Angeles. Uma das freiras foi diretora da escola e foram apanhadas depois de se terem reformado.

O desvio de fundos destinados a uma escola católica perto de Los Angeles, onde as duas freiras davam aulas há mais de 20 anos, terá ocorrido ao longo de mais de uma década, segundo a própria instituição. “Sabemos que costumavam ir em viagem, aos casinos. O problema é que usavam a conta [da escola] como a sua conta pessoal”, resumiu um investigador citado pela imprensa local.

A ordem das Irmãs de São José de Carondelet, criada em 1650, em França, “confirma ter sido informada pela arquidiocese de Los Angeles de um inquérito sobre as finanças da Escola Católica St. James, em Torrance,”, lê-se num comunicado enviado à agência de notícias France-Presse (AFP).

“Disseram-nos que havia uma apropriação indevida de fundos que envolvia duas das nossas irmãs, que já confirmaram a negligência e cooperaram com a investigação”, segundo a ordem religiosa.

A freira Mary Margaret Keuper, diretora da escola onde trabalhou duas décadas, e a irmã Lana Chang, que também lecionou na instituição, aposentaram-se este ano. Esta foi uma auditoria realizada após a reforma que revelou as práticas, explicou a escola numa dirigida aos pais, transmitindo, em particular, o “arrependimento profundo” manifestado pelas duas freiras. “Nenhum estudante ou programa (…) sofreu uma perda de financiamento (…) A educação dos seus filhos não foi, e não será, afetada por estes eventos”, sublinhou a instituição numa carta à qual a AFP teve acesso.

[corrigido às 12h02 — “milhões” foi corrigido para “mil”, sendo que o valor correto do desvio situa-se em cerca de 500 mil dólares, de acordo com jornais internacionais como o The Guardian]

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)