Futebol

Lionn diz em tribunal que foi vítima de aliciamento por empresário antes do Rio Ave-Benfica

726

Lionn, antigo jogador do Rio Ave, revelou em tribunal que empresário César Boaventura tentou comprá-lo antes de um jogo com Benfica. "Tentou a mim, ao Cássio e ao Marcelo", disse, segundo o Expresso.

Benfica venceu em Vila do Conde o Rio Ave por 1-0 em 2015/16 com golo de Jiménez, no jogo que estará sob suspeita

AFP/Getty Images

Lionn, defesa que se encontra hoje no Desp. Chaves depois de seis anos ao serviço do Rio Ave, revelou em tribunal, no âmbito de um processo colocado pelo guarda-redes Cássio ao empresário César Boaventura, que o agente tentou comprá-lo, bem como a mais dois companheiros de equipa, na antecâmara de um encontro entre os vila-condenses e o Benfica.

“César Boaventura tentou comprar-me antes do jogo contra o Benfica. A mim, ao Cássio e ao Marcelo também”, terá dito o brasileiro no Tribunal de Esposende, de acordo com o Expresso. “Vai ter de provar em tribunal o que disse”, respondeu César Boaventura ao mesmo jornal, que fala num esquema “montado por alguns jogadores com algumas pessoas do FC Porto e com o Bruno Carvalho [ex-presidente do Sporting]. Esses jogadores acabaram por ser contratados por clubes com ligações a FC Porto e Sporting.

Mais curioso ainda, tinha sido o próprio empresário a confirmar, de forma indireta, que existira esse depoimento de um jogador do Rio Ave (neste caso Lionn) na sua conta do Facebook, na noite da passada terça-feira. “O melhor foi ver testemunhas como Marco Carvalho (diretor de comunicação) e Lionn (ex-jogador atualmente no Chaves), fazerem depoimentos a dizer que eu alegadamente os tinha aliciado para um jogo entre Rio Ave vs. Benfica, assunto esse que em nada tinha a ver com o julgamento em questão, no entanto é uma forma de me descredibilizar perante o juiz”, escreveu nesse post, onde já fazia essa alusão entre os três jogadores em causa – Lionn, Cássio e Marcelo – e as ligações que teriam a FC Porto e Sporting.

A afirmação tem como contexto o Rio Ave-Benfica relativo à temporada de 2015/16, que estaria a ser investigado por suspeitas de viciação de resultados. Tudo teria começado na investigação de outro encontro dos vila-condenses, contra o Feirense. No final de abril, o Expresso escreveu que a Polícia Judiciária e o Ministério Público estariam a investigar todos os jogos dos encarnados desde a temporada 2013/14, por suspeitas de que um ou mais intermediários podiam ter abordado jogadores adversários, não havendo qualquer suspeito formal (pelo menos nessa altura) por razões estratégicas.

Em junho, o Correio da Manhã abordou de novo esse Rio Ave-Benfica, falando numa troca de mensagens entre jogadores que estavam no conjunto vila-condense e César Boaventura antes desse encontro em 2015/16. Ao jornal, o agente admitiu apenas ter contactado o central Marcelo mas apenas para lhe apresentar um proposta de transferência que chegara da Turquia.

Este caso em específico onde Lionn falou dessa tentativa de aliciamento nada tem a ver com os supracitados: depois da derrota do Rio Ave frente ao FC Porto no Dragão por 5-0, Cássio considerou que o agente César Boaventura tinha sugerido que o brasileiro facilitara na goleada dos azuis e brancos e avançou com uma queixa em tribunal.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)