Um relatório médico realizado seis dias depois da suposta agressão sexual cometida por Neymar a uma mulher num hotel em Paris revelou na alegada vítima hematomas, problemas gástricos, perda de peso e sintomas de stress pós-traumático. O site brasileiro UOL Esporte teve acesso ao documento e relata que há imagens que mostram hematomas nas nádegas e pernas da mulher.

O exame foi realizado por um médico num “hospital de renome” de São Paulo no dia 21 de maio, seis dias depois da alegada agressão ter ocorrido, avança o mesmo órgão brasileiro. O relatório relata quadro de “dor, perda de peso, ansiedade e problemas gástricos pós-episódio de stress emocional e hematomas provenientes de agressões na zona das nádegas e pernas”, refere o UOL Esporte. O site brasileiro não revela as imagens para defesa da alegada vítima, mas refere que é possível observar nódoas negras de tamanho considerável na mulher.

A polícia solicitou entretanto o telemóvel de Neymar e a mulher terá ainda imagens que mostram o avançado a ser agressivo e em estado alterado no quarto de hotel onde a suposta violação aconteceu.

A polícia brasileira vai interrogar Neymar devido à divulgação de imagens íntimas

Entretanto, a polícia brasileira convocou esta segunda-feira o futebolista, que está em estágio com a seleção canarinha, para um interrogatório devido à divulgação na internet de imagens íntimas da mulher.

Uma patrulha da Comissão de Repressão dos Crimes Informáticos da Polícia Civil do Rio de Janeiro deslocou-se ao centro de treinos do Brasil – que prepara a Copa América – e pediu a Neymar para prestar o seu testemunho na próxima sexta-feira.

No entanto, fontes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), citadas pela agência de notícias espanhola Efe, revelaram que foi pedido um adiamento do interrogatório, já que o jogador vai viajar na terça-feira para Brasília, onde a seleção brasileira vai defrontar o Catar, em jogo de preparação, seguindo depois para Porto Alegre para disputar outro encontro no domingo com as Honduras.

A notificação entregue ao jogador mais caro da história do futebol mundial está relacionada com a investigação que foi aberta contra Neymar devido a suspeitas da prática de crimes virtuais, e não pelo crime de violação. A equipa policial já se tinha deslocado ao local de concentração do Brasil no domingo de manhã, mas não conseguiu notificar Neymar, já que este ainda não tinha regressado ao estágio.

A estrela do Paris Saint-Germain, de 27 anos, publicou no sábado um vídeo em que tornou públicas as conversas que manteve por escrito – entre março e maio – com a alegada vítima de violação, bem como fotos íntimas da mesma. O objetivo do avançado era demonstrar que as conversas com a mulher continuaram num rumo normal depois do encontro sexual entre ambos em 15 de maio, a data em que a ofendida diz ter sido violada.

Contudo, no Brasil é crime oferecer, partilhar, transmitir, vender, distribuir, publicar ou divulgar imagens ou vídeos de conteúdo sexual por qualquer meio sem o consentimento da vítima, com a pena prevista a estender-se entre um e cinco anos de prisão, tempo que pode aumentar caso essa ação tenho por base motivos de vingança ou humilhação.

Certo é que Neymar apagou esta segunda-feira as publicações nas redes sociais onde tinha difundido as conversas (e fotos) trocadas com a alegada vítima de crime sexual.

O coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, que compareceu na conferência de imprensa ao lado do selecionador Tite no mesmo momento em que Neymar era notificado pela polícia, revelou que a entidade contratou assessoria jurídica para tratar do assunto e que a orientação que recebeu foi para oferecer toda a colaboração possível.

“A orientação que me deram foi estar totalmente disponível, atender todos os pedidos, acompanhá-lo e conversar com ele [Neymar] sobre o assunto. Estar à disposição a 100% para que esta situação possa ser resolvida rapidamente”, afirmou Gaspar, salientando que o objetivo da CBF é contar com Neymar tranquilo e concentrado na Copa América, competição que arranca a 15 de junho.

O pai de Neymar, Neymar Santos, já reagiu à notificação da polícia para o interrogatório do futebolista, sublinhando que prefere que o seu filho seja culpado de um crime cibernético do que de um crime de violação.

Caso terá ocorrido a 15 de maio

Neymar foi acusado de violação no sábado e a suposta agressão terá ocorrido num hotel em Paris a 15 de maio. Neymar e a mulher conheceram-se no Instagram e o jogador do PSG pagou-lhe o voo para França. A alegada vítima diz que o jogador estava alcoolizado e tornou-se violento já no quarto do hotel.

Num vídeo publicado no Instagram e entretanto apagado, Neymar diz que caiu “numa armadilha”.

“Estou sendo acusado de violação. É uma palavra pesada, muito forte, mas é o que está acontecendo no momento Apanhou-me de surpresa. Foi uma armadilha e caí nela”, disse o internacional brasileiro.

Na mesma publicação, Neymar divulgou as imagens das conversas de WhatsApp com a alegada vítima.

“O que aconteceu no dia foi uma relação entre homem e mulher, dentro de quatro paredes. No dia seguinte continuámos trocando mensagens”, refere também. “Foi armadilha. É muito ruim, é muito triste. Isto não só magoou a mim como magoa a minha minha família. Denigre a minha imagem”, defendeu Neymar.

https://twitter.com/neymarjr/status/1135015527057936384