Google, Facebook, Amazon e Apple estarão entre as empresas cujas práticas concorrenciais vão ser escrutinadas pelo Departamento de Justiça dos EUA, que desconfia que as big techs poderão estar a limitar a concorrência nos mercados tecnológicos onde são líderes.

“A investigação do Departamento [de Justiça] vai analisar os receios generalizados que consumidores, empresas e empreendedores têm expressado sobre as áreas dos motores de busca, redes sociais e alguns serviços online de retalho”, diz o organismo num comunicado onde não concretiza os nomes das empresas que serão investigadas mas não deixando grandes dúvidas de que estas “gigantes” estarão entre as visadas, entre outras.

A decisão surge numa altura em que vários responsáveis políticos — incluindo a candidata presidencial Elizabeth Warren — estão a pedir um maior escrutínio às práticas das empresas que dominam o setor tecnológico e que, graças ao poder que atingiram, podem estar a evitar a entrada de novos concorrentes.

“Sem uma disciplina de concorrência significativa nos mercados, as plataformas digitais conseguem agir de formas que não protegem o consumidor”, acrescentou o procurador-adjunto Makan Delrahim em declarações citadas pelo The Guardian.

Na Europa, estas empresas têm sido repetidamente castigadas pela Direção-Geral da Concorrência. A autoridade da concorrência europeia, liderada por Margrethe Vestager, voltou em março a multar a gigante norte-americana — em 1,5 mil milhões de euros– acusando-a de abuso de posição dominante na publicidade online.