António Costa afirmou no Parlamento que não havia falta de material nas forças de segurança (em resposta a uma confrontação de André Ventura, deputado único do Chega, durante o debate quinzenal com o Governo), foi contrariado no plenário seguinte, com André Ventura a mostrar algumas fotocópias de faturas que os elementos das forças de segurança lhe tinham feito chegar — segundo afirmou — e volta a ser contrariado agora, por um oficio do posto da GNR de Torres Novas, avança o Jornal de Notícias.

De acordo com a publicação, o comandante do posto enviou um ofício ao comando da GNR de Santarém a requisitar o envio do material em falta. Aos militares de Torres Novas faltam 18 lanternas, 20 algemas, 22 pares de luvas táticas, 22 embalagens de gás pimenta, 22 coletes balísticos e ainda facas táticas, bastões, coletes refletores e fatos de chuva, equipamento necessário para as funções dos militares colocados no posto.

Citado no jornal, o presidente da APG/GNR, César Nogueira, diz que esta é uma “clara resposta ao Governo”. “Os militares têm que adquirir o equipamento, especialmente as algemas. Caso contrário, correm o risco de trabalhar sem material”, afirmou à publicação acrescentando que a troca de material entre os militares durante os turnos “não é eficaz e muito menos higiénica”.