A IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social) Fundação D. Pedro IV, em Lisboa, vai manter as suas creches encerradas até 1 de junho, por terem sido detetados “vários casos confirmados de Covid-19” entre trabalhadores das suas Casas de Infância.

Os casos confirmados foram detetados “na sequência dos testes de diagnóstico mandados fazer aos profissionais das Creches”, refere ainda a IPSS, em comunicado enviado pela direção da Casa de Infância de Olivais às famílias que têm crianças a frequentar as Casas de Infância da Fundação, a que o Observador teve acesso.

A direção da Casa de Infância dos Olivais, que integra a IPSS, explicava assim aos pais das crianças inscritas, esta sexta-feira, que foram detetados “casos suspeitos validados” de pessoas que “tiveram contacto próximo de alto risco de exposição com as colegas trabalhadoras da mesma Casa de Infância, aquando da preparação prévia à abertura da Casa”.

O estabelecimento dos Olivais, que além de creche dispõe de berçário e pré-escolar (mas só a creche deveria reabrir esta segunda-feira), lembra ainda que deve vigilância de pessoas infetadas e seus contactos próximos durante os 14 dias “posteriores à data da exposição ou confirmação de infeção”, com monitorização das autoridades de saúde, pelo que “a resposta social de Creche das Casas de Infância da Funadção apenas poderá reiniciar atividade a 1 de junho”.

O Observador tentou contactar a direção da Casa de Infância dos Olivais para perceber quantos casos confirmados terão sido detetados na IPSS — e se estes ocorreram apenas na Casa de Infância dos Olivais ou noutras unidades que integram a Fundação D. Pedro IV —, mas até ao momento não foi possível obter resposta.

A Casa de Infância dos Olivais é uma das seis Casas de Infância da IPSS Fundação D. Pedro IV em Lisboa, havendo ainda outros estabelecimentos equivalentes localizados em Arroios (Casa de Infância de Arroios e Casa de Infância de Santana), Bairro Alto (Casa de Infância de Calafates), Campo de Ourique (Casa de Infância de Santa Quitéria) e Bairro da Graça (Casa de Infância de São Vicente).

Os bastidores de duas creches que se preparam para o regresso

Ao todo, o Governo garante que foram já realizados mais de 20 mil testes — o número avançado esta sexta-feira era de 23.085 — a funcionários de creches. Já este sábado, em mais uma das conferências diárias de monitorização da evolução da Covid-19 em Portugal da Direção Geral da Saúde e ministério da Saúde, a ministra Marta Temido garantiu que até este domingo, inclusive, serão conhecidos todos os resultados de testes feitos aos funcionários de todas as creches, para minimizar os riscos da reabertura já na segunda-feira.

As autoridades de saúde revelaram também esta semana um conjunto de práticas recomendadas para o funcionamento das creches em contexto de pandemia da Covid-19, que incluem  calçado deixado à porta, brinquedos lavados regularmente e menor número de crianças por sala.

Calçado à porta, brinquedos lavados regularmente e menos crianças por sala. Guia oficial para a reabertura das creches