Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já é a série mais bem cotada de sempre no IMDB — 9,6 pontos contra os 9,2 de Sopranos, os 9,4 de Game of Thrones e os 9,5 de Breaking Bad — mas os russos garantem: Chernobyl é pura ficção. Assim que a produção da HBO chegou ao fim, o realizador Aleksey Muradov anunciou ao tabloide russo Komsomolskaya Pravda que já tem em marcha — no mesmo modo, série de televisão — um plano para repor a verdade.

E qual é a “verdade”? Segundo a tradução da BBC, aquele que entrou para a História como o maior desastre nuclear alguma vez registado não terá sido um trágico acidente provocado pela urgência da URSS em mostrar “progresso técnico e científico” e amplificado por uma consequente tentativa de encobrimento por parte de Moscovo, mas sim um bem sucedido plano de sabotagem levado a cabo pela CIA. “Muitos historiadores não excluem a possibilidade de, no dia da explosão, um agente dos serviços secretos do inimigo estar a trabalhar na estação”, explicou Muradov, cuja série deverá ser emitida pela televisão estatal russa — e terá sido, de acordo com o Hollywood Reporter, financiada pelo ministério da Cultura em 30 milhões de rublos (cerca de 421 mil euros).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.