Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Bom dia! Obrigada por nos ter acompanhado. Este liveblog fica por aqui, mas pode continuar a seguir os desenvolvimentos sobre a pandemia da Covid-19 aqui:

    Japão pondera exigir teste negativo ou registo de vacinação a espectadores dos Jogos Olímpicos

  • Vacinas. Apenas 1% de 1,3 mil milhões de doses administradas foram usadas em África

    O valor é de 1% e tem estado a cair nas últimas semanas. Em todo o mundo já foram administradas 1,3 mil milhões de vacinas contra a Covid-19, mas apenas 1% delas foi administrada em África. As contas são do Guardian.

    Ao continente chegaram 28 milhões de doses, equivalente a menos de 2% da população, quando há cada vez mais países ricos a terem mais de metade da sua população vacinada, começando a ponderar vacinar crianças a partir dos 12 anos — algo que a OMS condenou na sexta-feira, criticando, uma vez mais, a disparidade das campanhas de vacinação.

  • Itália mantém proibição de entrada a viajantes da Índia, do Bangladesh e do Sri Lanka

    A proibição, que não se aplica aos cidadãos italianos, estava em vigor desde o final do mês de abril e deveria ter terminado este domingo. Mas o Governo decidiu prolongar a medida até 21 de junho, mantendo a proibição de entrada de pessoas provenientes da Índia, do Bangladesh e do Sri Lanka no país.

    O objetivo é evitar a entrada da variante indiana do SARS-CoV-2.

  • Terceira onda a caminho do Reino Unido? Especialistas acham que sim

    A notícia é do Guardian que recolheu a opinião de vários especialistas. Uma terceira onda da pandemia pode ter já começado no Reino Unido e qualquer aumento nos internamentos pode pôr em causa o trabalho que o Serviço Nacional de Saúde tem estado a fazer, tentando dar respostas a doentes não Covid que ficaram de lado durante a pandemia.

    Daqui a 3 semanas, a 21 de junho, o Reino Unido deverá pôr fim a todas as restrições. Fontes de Downing Street dizem ser cedo para discutir se o desconfinamento avança ou não nessa data.

  • Alemanha. Fraude em testes rápidos poderá dar multa

    A Alemanha vai discutir se avança, ou não, para o pagamento de multas em caso de fraudes nos rastreios de Covid-19. A notícia foi avançada pela ministra da Justiça, Christine Lambrecht, à emissora ARD. “Onde há fraude, todos devem saber que isso pode ser punido com bastante severidade.”

    No sábado, o Governo anunciou que vai aumentar as investigações à faturação de testes rápidos de Covid-19, depois de publicadas notícias que dão conta de fraudes nos reembolsos aos comerciantes que vendem estes produtos.

  • Brasil chega aos 16,5 milhões de casos

    Foram mais 874 mortes de doentes Covid e mais 43.520 diagnósticos positivos. Com os números das últimas 24 horas, o Brasil passa a marca dos 16,5 milhões de infetados com o vírus da Covid-19 desde o início da pandemia.

    O total de mortes, só ultrapassado pelos EUA, sobe para 461.931.

    Fonte: WorldMeter

  • África do Sul ajusta confinamento para conter terceira vaga da pandemia

    A partir de segunda-feira, a África do Sul vai apertar as medidas de segurança para conter a pandemia de Covid-19. O Presidente Cyril Ramaphosa anunciou que o país vai passar para o “confinamento de nível 2 ajustado”, já que crê na “iminência de uma terceira vaga” em pelo menos quatro das nove províncias do país.

    “A proporção de testes à Covid-19 positivos mais do que duplicou no último mês, de cerca de 4% para mais de 11%”, o que é “motivo de preocupação”. Assim, haverá novo recolher obrigatório e bares e restaurantes encerram às 22h00.

    Nas últimas duas semanas, mais de 960 mil pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

  • Quatro detenções. PSP apresenta balanço do policiamento da Final da Liga dos Campeões

    Durante a final da Liga dos Campeões, as intervenções policiais foram aceites pelos adeptos e as desordens foram rapidamente sanadas. Este é o balanço da PSP da operação policial de sábado, no Porto. Através de uma “abordagem pedagógica”, a PSP garante que que foi possível manter “um ambiente festivo e garantir a segurança de todos”.

    “Pontualmente foi necessário intervir rápida e cirurgicamente para fazer cessar pequenas desordens ocorridas entre adeptos, de forma a que não ganhassem maiores proporções”, continua a nota de imprensa. “Da operação policial resultaram quatro detenções, duas por agressão a polícias e duas pelo crime de contrafação.”

  • Número de internados em França volta a baixar

    O número de doentes Covid internados voltou a baixar em França, estando agora nos 16.775 (16.847 no sábado). Destes, 199 foram internados nas últimas 24 horas.

    A partir de segunda-feira, deixa de haver critérios de idade ou estado de saúde para se ser vacinado em França, numa altura em que 25.315.595 de pessoas receberam pelo menos uma injeção (48,2% da população adulta).

  • Angola reporta 186 novos casos e mais sete óbitos

    Angola registou 186 novos casos de Covid-19, sete óbitos e 130 pessoas recuperadas da doença, nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção Nacional de Saúde Pública.

    As novas infeções foram diagnosticadas em Luanda (152), Huíla (29), Benguela (2), Huambo (2) e Bié (1), com idades entre 1 e 79 anos. Neste período foram registadas sete mortes. Angola soma agora 34.366 casos, dos quais 764 óbitos, 27.776 recuperados da doença, 5.826 ativos, dos quais 14 em estado crítico e 47 graves.

  • Cabo Verde com mais 86 casos e uma morte

    Cabo Verde registou mais 86 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, e uma morte, elevando para 30.359 o acumulado de casos desde 19 de março de 2020, anunciou o Ministério da Saúde.

    No concelho da Praia, capital e principal foco da doença no país, foram confirmados nas últimas 24 horas mais 28 infetados, contando agora com 748 casos ativos.

    Cabo Verde estava a registar valores máximos de novos infetados consecutivos desde 31 de março, quase todos os dias acima de 200 e até ao pico de 417 casos em 5 de maio, quando o máximo anterior a este período foi de 159, em 11 de outubro de 2020.

  • Polícias criticam vacinação e exigem mais compensações

    A estrutura sindical refere que foram escalados polícias para ações de fiscalização de combate à pandemia, para cimeiras, para eventos desportivos sem estarem vacinados.

    Leia mais aqui.

    Polícias criticam vacinação e exigem mais compensações

  • Adeptos nos estádios. Pinto da Costa volta a atacar Governo

    O presidente do FC Porto voltou este domingo ao ataque. O alvo foi o Governo, o motivo, a ausência de adeptos em eventos desportivos em Portugal. Sugeriu mesmo, em declarações ao Porto Canal, que a diretora geral da Saúde fosse demitida.

    Pinto da Costa lamentou o facto de os pavilhões continuarem vedados ao público, apesar de no sábado perto de 15 mil adeptos estrangeiros terem assistido, no Estádio do Dragão, à final da Liga dos Campeões. “Tive a oportunidade de dizer ao senhor ministro da Educação que eles estavam a ser os coveiros do desporto português e, mais do que coveiros, estão a dar um exemplo de – vou ser aqui muito moderado – um exemplo de cretinice.”

    E continuou: “Da parte do Governo há um atestado de mediocridade ao povo português, porque os estrangeiros podem vir para aqui para os nossos estádios, mais de 15.000 pessoas, mas se forem portugueses não pode vir ninguém.”

  • Moçambique sem óbitos e 56 novos contágios

    Os números do Ministério da Saúde de Moçambique mostram mais 56 casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas. Não houve nenhum óbito a lamentar.

    Dos 70.780 casos diagnosticados no país, 98% já recuperaram da doença.

  • Itália com 44 mortes, o menor número desde meados de outubro

    Foram mais 2.949 novos diagnósticos positivos infeções e 44 óbitos de doentes Covid, o menor número registado em Itália desde 13 de outubro (41 mortes). Com os números agora revelados pelo Ministério da Saúde, o país acumula 126.046 mortes e 4.216.003 casos positivos desde o início da pandemia.

    Quanto à vacinação, 19,89% da população do país já tomou as duas dose e, na próxima quinta-feira, Itália começa a vacinar toda a população sem distinção de idade.

  • Espanha. Rei Felipe VI foi vacinado este sábado

    Não houve fotografias nem aviso prévio. O rei de Espanha, Felipe VI, de 53 anos, foi vacinado este sábado contra a Covid-19 no Centro WiZink de Madrid, informou a Casa Real através de comunicado.

    Na nota, divulgado no domingo, lê-se que o Rei foi vacinado “no local e no tempo que lhe corresponde” pelo protocolo estabelecido pelas autoridades sanitárias. Em Madrid, cidadãos entre os 50 e os 59 anos podem ser vacinados com a vacina da Janssen (dose única), da Moderna (duas doses) ou da Pfizer (duas doses). A Casa Real não adiantou que vacina foi administrada ao rei.

  • Militar angolano matou adolescente de 14 anos por não usar máscara na rua

    Segundo as autoridades, estão ainda por se apurar as razões que levaram o militar a efetuar dois disparos, que atingiu o antebraço do menor, que foi imediatamente enviado para o hospital local.

    Leia mais aqui.

    Militar angolano matou adolescente de 14 anos por não usar máscara na rua

  • Madeira quer vacinar jovens entre os 12 e os 15 anos antes de setembro

    O Governo da Madeira pretende concluir o processo de administração da vacina da Pfizer aos jovens entre os 12 e 15 anos antes do início do próximo ano letivo, anunciou este domingo o secretário da Saúde do arquipélago.

    O governante realçou que a Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês)) já deu a autorização para a vacinação abaixo dos 18 anos, com a utilização das vacinas da Pfizer e BioNtech, podendo o mesmo acontecer com outras que “têm o mesmo mecanismo de ação”, como a da Moderna.

    “Estamos à espera que a Direção-Geral de Saúde tome a sua posição e a partir desse momento todos os nosso jovens serão vacinados antes do início do ano letivo”, declarou o responsável do executivo insular.

    Covid-19. Governo da Madeira pretende vacinar jovens antes de início ano letivo

  • Francisco Rodrigues dos Santos desresponsabiliza Rui Moreira por desacatos no Porto

    Ao contrário do presidente do PSD, Rui Rio, que além de ter culpado o Governo pelos desacatos na cidade do Porto, responsabilizou o presidente da Câmara Municipal do Porto, Francisco Rodrigues dos Santos rejeitou atribuir qualquer responsabilidade a Rui Moreira, candidato que os centristas apoiam.

    “A responsabilidade é exclusiva do Governo, em primeiro lugar, porque é o Governo que tem a tutela da Administração Interna e deve organizar, preparar e prever este tipo de organizações desportivas de grandes escala. E depois porque é o Governo o responsável pela comunicação com o país”, atirou o líder do CDS, apontando baterias a Eduardo Cabrita, o “suspeito do costume”, “aquele ministro que tem o toque de Midas invertido: onde toca da´sempre asneira e mau resultado”, nas palavras de Francisco Rodrigues dos Santos.

    Depois, o líder do CDS voltou a insistir para que António Costa demita Eduardo Cabrita, usando como trunfo das palavras no dia anterior do Presidente da República, que teceu críticas ao Governo por não ter cumprido a promessa de os adeptos ingleses chegarem em bolha à cidade do Porto.

    “Será preciso Marcelo Rebelo de Sousa fazer um desenho para que António Costa perceba que Eduardo Cabrita não está capaz de exercer com dignidade institucional e competência as funções de ministro da Administração Interna?”, questionou o líder do CDS.

  • Francisco Rodrigues dos Santos volta a pedir demissão de Eduardo Cabrita

    O líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, voltou a pedir, este domingo, a demissão do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, desta feita por causa da gestão do Governo na realização da final da Liga dos Campeões, no Porto. Para o líder do CDS, é “inadmissível” que festiviais de verão sejam adiados, mas que o jogo entre Chelsea e Manchester City tenha tido público nas bancadas, além dos desacatos causados por adeptos ingleses.

    Nesse sentido, Francisco Rodrigues dos Santos criticou o primeiro-ministro, António Costa, por não demitir Eduardo Cabrita e pediu aos portugueses para mostrarem o “cartão vermelho” ao ministro.

    “Isto continua a ter o rosto do fracasso das políticas da Administração Interna no nosso país, que é Eduardo Cabrita. Eduardo Cabrita está constantemente fora de jogo, António Costa entende que não o deve substituir, portanto acho que está na altura de os portugueses exibirem um cartão vermelho, para que este ministro abandone imediatamente o Governo”, afirmou Francisco Rodrigues dos Santos aos jornalistas , no encerramento da 5.ª Capital do Móvel.

1 de 2