Rádio Observador

Igualdade de Género

Homens feministas precisam-se!

Autor
809

A igualdade de género só será uma realidade com o apoio de muitos Tom Millers, homens que percebem que os direitos das mulheres são direitos humanos e estão dispostos a lutarem por eles.

Recentemente, vi o vídeo da primeira mulher a correr a Maratona de Boston. Kathrine Switzer, sabendo que a corrida estava vedada a mulheres, inscreveu-se usando apenas as suas iniciais e na companhia do seu treinador e do namorado participou na competição. Tudo corria bem, até que o diretor da Maratona de Boston apercebeu-se da situação e tentou de forma furiosa e a todo o custo expulsá-la da corrida. Kathrine Switzer terminou a corrida em 4h20. O ano era 1967 e só 5 anos depois a Maratona de Boston permitiu que mulheres participassem oficialmente na mesma.

A luta pela igualdade de género, começou há centenas de anos. Desde então, mulheres lideram países, empresas e exércitos, estão na fronteira da exploração espacial e 126 anos depois da Nova Zelândia ter sido o primeiro país a legalizar o voto das mulheres, hoje votamos no mundo inteiro (o último país a permitir foi a Arábia Saudita, em 2015). No entanto, atualmente a média da OCDE para a diferença salarial entre homens e mulheres é ainda de 14% (em Portugal é de 18,3%), até Março de 2019, em Portugal já tinham morrido 12 mulheres vítimas de violência doméstica e quando olhamos para os CEO’s das empresas do PSI-20, índice que agrega as 20 maiores empresas cotadas na Euronext Lisboa, vemos apenas uma mulher.

Quando escrevi o meu último artigo sobre mulheres e liderança, recebi vários comentários de homens a dizer que não percebiam porque é que a igualdade de género ainda era assunto, que com o tempo a situação iria resolver-se. No entanto, segundo o projeto “Closing the Gender Gap“ do Fórum Económico Mundial, demoraremos 202 anos até conseguirmos eliminar a desigualdade de género globalmente e uma coisa é certa, não vamos conseguir fazê-lo sozinhas.

O interessante do episódio da Maratona de Boston, não é apenas que Kathrine Switzer mostrou que uma mulher conseguia terminar uma das maratonas mais famosas do mundo, mas quando vemos o vídeo percebemos que ela só conseguiu ser bem sucedida porque o namorado, Tom Miller, empurrou o diretor da corrida, deixando o caminho livre para Kathrine. Tom Miller percebeu que na Maratona de Boston havia espaço para todos e que a sua participação em nada ficava diminuída, por partilhar a corrida com mulheres. Ele mostra-nos que contrariamente ao que nos fazem muitas vezes acreditar, para haver igualdade de género não é preciso haver vencedores e vencidos. E é isso mesmo que defende o feminismo, um movimento político, filosófico e social que defende a igualdade de direitos entre todos, independentemente do género. O desconhecimento sobre o que realmente é o movimento feminista e o que quer alcançar, faz com que homens e mulheres continuamente se assumam não feministas e se excluam desta luta. No entanto, homens como o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, os atores Will Smith, Antonio Banderas e Daniel Craig e o músico Bono, assumem-se publicamente como feministas, por acreditarem que homens e mulheres devem ter os mesmo direitos e acesso às mesmas oportunidades.

Eu gostava que efectivamente o tema da igualdade de género deixasse de ser assunto. Até esse dia chegar, nós feministas, temos que continuar a chamar a atenção para a questão e a garantir que em casa, no trabalho e na escola estamos todos atentos aos comportamentos discriminatórios que abundam nas nossas interações sociais.

Termino, assim com um apelo. A igualdade de género só será uma realidade com o apoio de muitos Tom Millers, homens que percebem que os direitos das mulheres são direitos humanos e estão dispostos a lutarem por eles. Junte-se a nós!

Inês Santos Silva tem 29 anos é Diretora Executiva da Aliados – The Challenges Consulting e fundadora da comunidade Portuguese Women in Tech.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Global Shapers

A (nova) economia do impacto

Inês Santos Silva
191

Cada vez mais os consumidores valorizam produtos que geram impacto positivo. E os melhores talentos, principalmente os ditos millennials, acreditam que as empresas podem e devem ter esse impacto.

Igualdade de Género

Não há mulheres gordas no ginásio

João Pires da Cruz
2.956

A única coisa para a qual poderei contribuir é tentar mostrar à minha filha que mulheres gordas podem e devem ir ao ginásio e que é muito mais valioso ser astrofísica do que princesa.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)