Governo

Incêndios: “Há erros que se cometem e há que ter a humildade de os corrigir”

O líder socialista esteve este sábado numa ação de campanha para as autárquicas e sublinhou que "o país está melhor", mas "há sempre imprevistos" e aí "a atitude correta não é a de demissão".

Hugo Delgado/LUSA

O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou este sábado que o país está melhor em termos económicos, mas há que ter a humildade de corrigir os erros cometidos, numa alusão à questão dos fogos florestais.

“Hoje o nível de confiança dos consumidores está ao nível mais alto de sempre. E essa confiança é um bem fundamental. Mas o facto destes dados serem bons e demonstrarem que o país está melhor, não pode fazer com que percamos a humildade de saber que, mesmo quando o pais está melhor, há erros que se cometem e há que ter a humildade de os saber corrigir”, afirmou.

Discursando em Fafe, na apresentação do candidato do PS à câmara local, o líder socialista acrescentou que, “mesmo quando o país está melhor, há sempre imprevistos, há que ter a humildade de saber enfrentar. Mas quando esses imprevistos surgem, a atitude correta não é a de demissão, a atitude correta é a determinação para os enfrentar e para o vencer”.

Para António Costa, as prioridades face às “situações dramáticas das últimas semanas” são “socorrer quem precisa de socorro, apurar todas as responsabilidades para que tudo fique esclarecido, reconstruir aquilo que é necessário reconstruir, mas, sobretudo, evitar que isto volte a acontecer, porque não podemos aceitar que isto volte a acontecer”.

O secretário-geral do PS disse, também, que o que é necessário é “resolver os problemas” e não “aproveitar politicamente dos problemas”.

Em entrevista à RTP, na sexta-feira à noite, o secretário de Estado da Coesão e Desenvolvimento, Nelson Souza, afirmou que “até final de julho” as verbas doadas pelos portugueses chegarão às vítimas dos incêndios.

“São dinheiros mais do que públicos, são dinheiros doados pelos portugueses”, disse, no mesmo dia em que o líder do PSD acusou o Governo de incompetência na distribuição de fundos.

Hoje, foi divulgado publicado o regulamento do REVITA, mecanismo criado pelo Estado para gerir a distribuição das verbas, e que integra sete entidades, para o qual o secretário de Estado promete transparência na sua distribuição.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site