Os muros do bairro da Graça, em Lisboa, estão a ser pintados com obras de arte que homenageiam figuras da literatura nacional. A operação visa a requalificação do espaço público e vai criar um percurso de arte urbana naquela zona da cidade.

Segundo fonte da Galeria de Arte Urbana (GAU), da Câmara Municipal de Lisboa, os desenhos e poemas que estão a surgir em paredes da Graça fazem parte do projeto “Fachadas cheias de Graça”, da autoria da associação sem fins lucrativos EBANO.

“As fachadas degradadas serão transformadas em páginas públicas, fragmentos de crónicas da comunidade, memória dos seus artistas e poetas, das suas vivências presentes e passadas, deixando à etnografia e, portanto, à comunidade voz protagonista na narrativa destas histórias coletivas”, pode ler-se na página da EBANO na Internet.

Na travessa do Monte já é possível admirar-se o trabalho da artista Mariana Dias Coutinho. Em execução, no Beco dos Peixinhos, está a obra de Leonor Brilha.

O projeto conta ainda com a participação dos artistas ParizOne e Mr.Dheo, que esta semana estarão a pintar na Travessa de São Vicente, Eime, Lorenzo Bordonaro e Violante.

Todas estas obras, de acordo com a mesma fonte da GAU, “darão origem à criação de um percurso de arte urbana nesta zona da cidade”.

O projeto “Fachadas Cheias de Graça” foi um dos vencedores da edição do ano passado do programa camarário BIP-ZIP (Bairros de Intervenção Prioritária/Zonas de Intervenção Prioritária).

Na descrição do projeto, a EBANO referiu que “a intervenção nas ‘fachadas de abandono’ do bairro da Graça pretende responder à degradação atual dos edifícios, através de uma valorização do património arquitetónico e imaterial que carateriza aquela zona da cidade”.