E já está. Os Spurs voltam a acertar contas com a história e corrigem o desvio de 2013. A equipa de Santo Antonio venceu o quinto jogo da final da NBA contra os Miami Heat (104-87), que os havia vencido no ano passado por 4-1, e já somam cinco anéis em seis finais disputadas. Se no ano passado LeBron James foi rei e senhor, este ano a história está do lado de Tim Duncan, mas já lá vamos.

Foi perante quase 20 mil adeptos que os Santo Antonio voltariam a sentar-se no trono da NBA. A estrela foi Kawhi Leonard, um norte-americano de 22 anos com 2.01m, que assinou 22 pontos e ganhou dez ressaltos — foi eleito o MVP das finais. Do outro lado, LeBron James foi o number one, pois claro: 31 pontos, dez ressaltos e cinco assistências. O título fugia aos Spurs desde 2007, altura em que atropelaram os Cleveland Cavaliers por 4-0. Já os Miami jogaram a sua quarta final consecutiva: ganharam em 2012 e, como já vimos, em 2013.

E se lhe dissermos que Tim Duncan é o primeiro jogador da NBA a ganhar títulos em três décadas diferentes? Aos 38 anos, a sua história de amor com os Spurs, o único clube onde jogou (desde 1997), culmina com um feito histórico. Duncan ganhou o seu primeiro título em Santo Antonio em 1999, altura em que até foi o MVP das finais. Seria preciso esperar quatro anos para voltar a usar o anel de rei da NBA, onde, mais uma vez, voltaria a ser o MVP. E se o fizesse pela terceira vez? Isso é que era bom. Mas fez. Foi em 2005. O norte-americano voltaria a ser campeão em 2007 e, agora, 2014.

“É muito especial”, começou por dizer Duncan, “fazê-lo em casa, com os meus filhos, a minha família e amigos aqui; tornou-o tão mais especial. É uma grande experiência. Por alguma razão é mais saboroso do que qualquer outro [título], seja por causa do timing, pois se aproxima o final da minha carreira, seja porque posso ter aqui estes dois — os filhos Sydney e Draven — e poder lembrá-lo e desfrutar a experiência. Todas essas coisas tornaram-no muito mais especial.”

“É por isso que digo que é o mais saboroso”, disse no final Tony Parker, “porque é inacreditável ter ganho há sete anos e estar tão perto no ano passado; foi muito cruel. Mas é essa a beleza do desporto. Às vezes é duro. E às vezes consegue ser belo como hoje.” O francês é outro histórico dos Spurs: chegou em 2001 e venceu, tal como Duncan, em 2003, 2005, 2007 (MVP das finais) e 2014.

Histórico é também o feito de Marco Belinelli. O italiano de 28 anos é o primeiro do seu país a conquistar o anel da NBA, e logo em ano de estreia nos Spurs. A sua carreira começou no Virtus Bologna em 2001. Seguiram-se Fortitudo Bologna, Golden State Warrios, Toronto Raptors, New Orleans Hornets e Chicago Bulls, que deixaria em 2013. Este ano mudou-se para Santo Antonio. Bela decisão, hein?

LeBron James, o homem que chegou à NBA para ameaçar a lenda de Michael Jordan — missão impossível? –, estava resignado no final. É que, afinal, os campeões não arranjam desculpas. “Nós tivemos um grande primeiro período, mas a partir daí eles foram melhores e é por isso que foram campeões em 2014”, reconheceu. Os Miami lideravam no primeiro período por 29-22, mas o segundo seria um desastre: 11-25. No terceiro, os Spurs voltariam a ser melhores (30-18) e o último voltaria a pertencer à equipa de LeBron e companhia (29-27).

OS RESTANTES QUATRO JOGOS DA FINAL

No jogo inaugural, em Santo Antonio, a equipa da casa foi melhor (110-95), aproveitando o acerto e saber de Tim Duncan (21 pontos e dez ressaltos); Manu Ginóbili assinou 11 assistências. LeBron até prometeu agitar as coisas (25 pontos) mas não seria suficiente.

No segundo jogo, em Santo Antonio, a cantiga já foi outra. LeBron continuava na sua cruzada para a eternidade e foi decisivo com 35 pontos e dez ressaltos. Esta partida seria muito mais emocionante e terminaria 98-96 para a equipa de Miami. Tony Parker fez 21 pontos para a equipa da casa.

Com tudo como começou — empatado –, o murro na mesa chegou em Miami, ao terceiro jogo. Foi aqui que Kawhi Leonard começou a vincar a sua pegada e, a fazer lembrar alguém, disse “eu estou aqui”. Leonard marcou 29 pontos, mais sete do que LeBron James e Dwyane Wade. O jogo terminou 111-92 para os Spurs.

O cheirinho a trono da NBA chegou no quarto jogo. Os Spurs voltaram a dar uma prova de força e venceram por 107-86 em Miami. Kawhi Leonard voltou a ser o jogador mais importante: 20 pontos e 14 ressaltos. LeBron James tentou evitar o desastre (28 pontos), mas mais uma vez seria insuficiente.