Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Conselho de Ministros discutiu esta quinta-feira a crise no BES, apesar de o assunto não constar da agenda oficial de trabalhos. Foi o próprio ministro da Presidência, Luís Marques Guedes, que o confirmou em conferência de imprensa depois da reunião terminar. “Não deixou de ser obviamente abordado no Conselho de Ministros”, declarou, perante uma pergunta dos jornalistas.

Marques Guedes admitiu ainda que o caso do Grupo Espírito Santo, que tem cerca de 3,4 mil milhões de prejuízos, “é um revés bastante importante, atendendo à dimensão do grupo” e que “haverá impactos para a economia, seguramente”. “Espero que a economia tenha resiliência suficiente”, acrescentou, esperando que “funcionem os mecanismos que existem no estado de Direito” e os “responsáveis de supervisão e regulação”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR