A pasta dentífrica Colgate Total contém uma substância, o triclosan, que tem estado associada, em diversos estudos científicos, ao crescimento de células cancerígenas e alterações hormonais em animais. A Food and Drug Administation (FDA), o regulador americano do setor da alimentação e farmacêutico, divulgou agora um relatório que levanta algumas dúvidas sobre os perigos da utilização do triclosan em humanos.

Segundo uma nota enviada à imprensa pelo Infarmed, “até à data não foi rececionado (…) qualquer alerta formal sobre a existência de produtos da marca Colgate Total com concentrações de triclosan superiores ao permitido legalmente” em Portugal, que o regulador esclarece que é de 0,3%, tal como em toda a União Europeia.

Para já, não há certezas sobre a segurança do triclosan, mas o que é certo é que a Colgate parece não ter dado grande importância aos estudos, aquando da aprovação do Colgate Total pela FDA, em 1997. No relatório agora conhecido, fica a saber-se que a FDA recorreu a estudos feitos pela própria Colgate – que envolveram mais de 19 mil pessoas – para aprovar a utilização da substância.

Um dos estudos mais recentes, realizado por uma universidade coreana, é de 31 de março deste ano e sugere que o crescimento de células associadas ao cancro da mama em ratinhos era potenciado pelo triclosan. “Criámos um sistema em que testamos essas substâncias químicas na população humana. Gosto da ideia de que elas são todas seguras. Mas quando há estudos em animais que apontam para outro cenário, penso que estamos a correr um enorme risco”, afirmou Thomas Zoeller, um professor de Biologia da Universidade de Massachusetts ouvido pela Bloomberg.

O triclosan é uma substância antibacteriana que ajuda a combater as infeções nas gengivas, mas é usado em muitos outros produtos: sabonetes, tapetes e embalagens de comida para animais, por exemplo. A Palmolive, que pertence ao grupo Colgate, já retirou mesmo o triclosan de sabonetes em 2011. O exemplo foi seguido por empresas como a Johnson’s & Johnson’s, a Clearsil e a Avon, que começaram a abandonar o triclosan este ano. Até 2017, também a Unilever, responsável por dezenas de marcas em vários segmentos, deverá retirar o triclosan de todos os seus produtos.

A Colgate Total, que é comercializada em Portugal, foi aprovada em 1997 para comercialização nos Estados Unidos após quatro pedidos, o primeiro dos quais apresentado em 1992.