O Syriza que lidera o governo de Atenas fez promessas aos eleitores gregos de por termo às dificuldades financeiras que não vai poder cumprir sobre o fim das dificuldades financeiras. A tese é defendida por um membro do conselho de governadores do Banco Central Europeu (BCE).

Em entrevista ao jornal belga De Tijd, o governador do Banco Central da Bélgica, Luc Coene, sublinhou que o Syriza, liderado pelo primeiro-ministro Alexis Tsipras, deve estar preparado para seguir as regras de austeridade orçamental europeias e para atacar o grande problema de competitividade da economia grega.

“Eu não acredito que exista um caminho radicalmente diferente”, defende Luc Coene, citado pelo De Tijd. O governador do banco central belga realça que o plano de assistência internacional atribuído em troca do esforço de consolidação orçamental poupou o país a maiores dificuldades. “Se saírem do euro, será dez vezes pior para os gregos”.