A prática do ioga, muito popular entre as culturas hindus e budistas, nasceu na Índia há muitos milhares de anos, subsistindo alguma especulação quanto a essa data. Algumas fontes fixam a origem há mais de cinco mil anos, ao passo que dados mais recentes apontam para o ano 8000 a.C., não havendo uma certeza.

Já no que toca aos benefícios o consenso é generalizado. Está comprovado que o ioga desenvolve a flexibilidade e favorece o auto-conhecimento, traduzindo-se em harmonia na perfeita integração com o ambiente. Além disso, estimula a capacidade de concentração e aumenta a criatividade. Em suma, melhora a qualidade de vida.

7 fotos

E se, de repente, uma empresa fabricante de computadores materializasse tudo isto num equipamento informático? Foi o que fez a Lenovo ao criar um híbrido tão revolucionário que pode muito bem inaugurar uma nova categoria de produto, entre o tablet e o notebook: o Yoga Book.

Um dos significados apontados para a palavra ioga é união, também aqui materializada através de uma engenhosa dobradiça que parece uma pulseira a unir os dois corpos, o tablet e a mesa digitalizadora com tecnologia da Wacom. Este é o grande fator disruptivo do novo híbrido de 10 polegadas da Lenovo que mede só 4,05mm no lado mais fino e, quando fechado, em modo tablet fica apenas com 9,6mm de espessura.

O corpo esbelto veste uma mistura de magnésio e alumínio para garantir que vai manter-se como novo durante muito tempo. E em cima da mesa confunde-se facilmente com um caderno de capa preta.

Até as asanas do ioga nos parecem figurativas das múltiplas posições que o dispositivo pode adotar em quatro modos: navegar na web, escrever, visualizar ou criar.

É a resposta que muitos esperavam ao reunir a versatilidade do tablet com a produtividade de um computador portátil. De espírito criativo e aventureiro, as pessoas a quem este híbrido assenta como uma luva, preferem coisas simples e intuitivas, ao mesmo tempo que valorizam bastante a estética dos dispositivos.

Andam com eles a tempo inteiro e usam-nos cada vez mais, em toda a parte. Muitas vezes na cama, no sofá e no carro. São capazes de passar serões no Skype, com a família e os amigos, a enviar emails, a jogar online ou a ver blogues sobre as últimas tendências de moda.

É o primeiro tablet no mundo a oferecer as vantagens de uma mesa digitalizadora, o Create Pad, para escrever ou desenhar com a Real Pen, uma caneta digital que assegura a deteção em ângulos até 100o e não precisa de ser recarregada.

Muito cool porque podemos estar a desenhar um esquiço na tela, enquanto vemos o resultado ganhar forma no ecrã IPS Full HD. A Real Pen é tão sensível que é capaz de detetar 2048 níveis distintos de pressão, dando controlo preciso sobre o tablet, o que é particularmente importante se o usarmos para desenhar ou pintar. Mas pintar a sério, capturando as texturas e as nuances subtis de cada “pincelada”.

Mas também podemos usar o Yoga Book como se fosse um bloco de notas em papel e escrever à mão, com o mesmo controlo e sensações de quem escreve realmente em papel. E para maior realismo está disponível um bloco, para colocar em cima do touchscreen, e pontas com tinta para aplicar na caneta digital. A ideia é substituir o aparo eletrónico da caneta por uma ballpoint normal, sendo o texto manuscrito uma nota digital. No entanto, embora o texto seja guardado no formato original, isto pode ser bastante útil nas situações em que escrever à mão é necessário, ou obrigatório, mas queremos guardar toda a informação em plataforma digital.

Outra premiére mundial neste Yoga Book é o Halo Keyboard, um teclado inovador que ganha vida quando queremos escrever e desaparece quando fazemos outra coisa. O sistema incorpora software de aprendizagem artificial que é capaz de reconhecer e adaptar-se aos hábitos de digitação dos utilizadores.

As teclas digitais surgem como por magia no ecrã e emitem vibração a cada toque, um feedback háptico que melhora a perceção de toque em ecrãs touchscreen. E há ainda outro benefício desta superfície secundária que funciona como mesa digitalizadora, tela de desenho e teclado.

Quando colocamos o tablet na vertical para ver um filme, por exemplo, pode funcionar como apoio ou como base. Com tantas inovações, a que se junta a construção cuidada com materiais nobres e um acabamento premium, não admira que o Yoga Book tenha colecionado 27 prémios logo no momento da apresentação, na IFA 2016, em Berlim.

Características? Está tudo aqui

O Yoga Book vem com sistema operativo Windows 10 Pro e suite Office Mobile, numa arquitetura que integra um processador Intel Atom x5 a 1,44 GHz, 4 GB de RAM, 64 GB de ROM e slot microSD.

A placa gráfica Intel HD e o som Dolby Atmos garantem ótimas experiências multimédia, enquanto as duas câmaras de 8MP e 2MP são suficientes para captar os melhores momentos. Inclui entradas Micro-USB e Micro-HDMI, sendo a conetividade garantida por Wi-Fi e Bluetooth 4.0. Com uma bateria que promete 15 horas de serviço com uma carga, é de esperar que aguente um dia de trabalho sem recarregar.

Atualmente, é essencial compreender a existência de uma Geração Touch que já adotou o tablet como dispositivo informático principal. Estudos indicam que 40 % dos estudantes já utilizam tablets nas escolas e 83% dizem que isso muda a forma de estudar e melhora a aprendizagem.

Muitos terão ouvido falar de Kundera, outros podem até ter lido o escritor checo. Nós apostamos que ele jamais escreveria num tablet, mas decerto não ficaria indiferente às performances deste Yoga Book incrivelmente fino e leve, com apenas 690 gramas.