Pedro Madeira Rodrigues apresentou, esta terça-feira, a sua candidatura à presidência do Sporting. Com o mote “Sempre na frente“, o candidato garante reerguer o clube e mostra-se convicto de que pode e vai ganhar as eleições.

Para o candidato, o Sporting não apresenta neste momento um modelo de gestão nem um projeto desportivo. Já em relação a Bruno de Carvalho, Pedro Rodrigues assegura que haverá “elevação e respeito” ao longo da campanha, mas não poupa críticas à atual liderança dos leões. Pedro Madeira Rodrigues considera que o presidente do Sporting “foi importante no que fez pelo clube em determinado momento mas, infelizmente, não foi capaz de manter um projeto coerente e sustentável”.

O modelo de gestão está esgotado e isso é evidente no que ele [Bruno de Carvalho] diz e no que faz.

O candidato questiona a liderança de Bruno de Carvalho uma vez que, na sua opinião, “não são admissíveis atitudes públicas de falta de liderança” e que o Sporting não deve ser um “espaço de permanente conflito e guerrilhas pessoas e emocionais”.

Pedro Madeira Rodrigues jogou três anos nos escalões jovens do Sporting, foi chefe de gabinete no Ministério da Economia entre 2002 e 2005 e secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa. O candidato garante que aprendeu com o Sporting a ter uma obsessão pela vitória, que largou tudo pelo clube e que se “fez homem” com os leões.

A conferência de imprensa de Pedro Rodrigues começou às 19h00, altura em que os sócios do clube leonino receberam uma mensagem a informá-los de que poderiam recolher no site ou nas bilheteiras convites para assistir ao jogo Sporting-Varzim, esta sexta-feira às 21h15, a a contar para a Taça da Liga.