O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, pediu esta quinta-feira ao Presidente dos EUA, Donald Trump, para não alterar para pior o “clima (político)”, abandonando o acordo de luta contra o aquecimento global.

“Por favor não mude para pior o clima (político)”, escreveu Tusk na sua conta na rede social Twitter, dirigindo-se a Trump, após notícias de que este poderá retirar o seu país do Acordo de Paris sobre alterações climáticas.

Vários órgãos de comunicação social, incluindo o canal de televisão Fox, noticiaram na quarta-feira que Trump decidiu que os Estados Unidos abandonam o acordo, e a Associated Press, citou um responsável da Casa Branca dizendo que o presidente norte-americano deverá anunciar a saída.

O mesmo responsável referiu que Trump pode “usar ressalvas na linguagem” que vai usar para anunciar essa saída — deixando aberta a possibilidade de a decisão não ser final.

Concluído no final de 2015 na capital francesa por mais de 190 países e sob a égide da ONU, o acordo visa limitar a subida da temperatura mundial reduzindo as emissões de gases com efeito de estufa. O acordo histórico teve como “arquitetos” centrais os Estados Unidos, então sob a presidência de Barack Obama, e a China, e a questão dividiu a recente cimeira do G7 na Sicília, com todos os países a reafirmarem o seu compromisso em relação ao acordo com a exceção de Washington.

Durante a campanha das presidenciais, Trump prometeu anular o acordo sobre as alterações climáticas, mas desde que está na Casa Branca tem enviado sinais contraditórios, refletindo as correntes contrárias que atravessam a sua administração.