“A nossa indústria não respeita a tradição. Apenas respeitamos a inovação”. Foi com esta frase de Satya Nadella, diretor executivo da Microsoft, que teve início o evento de apresentação, em Lisboa, dos novos Surface Pro e Surface Laptop.

Foi há cinco anos, em 2012, que a Microsoft decidiu criar um novo conceito ao lançar o Surface RT. A partir daí, a empresa foi sempre tentando inovar o seu “tablet capaz de substituir um computador” até chegar ao Surface Pro, que foi apresentado esta quinta-feira em Portugal. Mantendo as mesmas linhas que os modelos anteriores mas com alguns aperfeiçoamentos a nível estético e interno, o novo híbrido conta com acessórios redesenhados para acompanharem as novas capacidades técnicas.

O que é o tecido alcântara?

Mostrar Esconder

Alcântara é um tecido composto por poliéster e poliuretano não fibroso. É suave como a lã, tem a elegância da seda e a resistência do linho. É ainda impermeável, respirável e resistente ao pó.

É utilizado, na maioria dos casos, nos volantes e bancos dos automóveis.

A utilização da alcântara para o teclado, em conjunto com o vidro, o metal e o plástico (para as teclas) levou a Microsoft a apresentar uma versão mais aperfeiçoada e potente do tablet/computador. O Surface Pro vem equipado com processadores Intel (M3, i5 ou i7), com um ecrã quase edge to edge de 12,3 polegadas, uma memória RAM até 16 GB e uma autonomia anunciada de 13,5 horas de reprodução de vídeo.

Joana Pires, diretora de negócio Windows e Surface, referiu durante o evento que a Microsoft assume ter chegado “a um ponto não de perfeição mas muito perto disso com o Surface Pro”.

4 fotos

Mas, para os que não querem um tablet e preferem algo mais tradicional, como um portátil “normal”, a Microsoft acrescentou à sua gama de equipamentos o Surface Laptop. Construído nos mesmo materiais que o Pro e respetivos acessórios, tem um ecrã de 13,5 polegadas, processadores Intel (i5 ou i7), uma memória RAM que vai até aos 16 GB e uma autonomia de 14,5 horas em reprodução de vídeo.

3 fotos

O Surface Laptor é o primeiro equipamento a correr o mais recente sistema operativo Windows 10 S, pensado especialmente para estudantes. No entanto, Joana Pires aproveitou para chamar à atenção que o sistema é “pensado para estudantes mas não só”. Este “não é um novo Windows”, explica, “é uma configuração do Windows Pro” que, em caso de incompatibilidade com algum programa, permite fazer a passagem instantânea para o Windows Pro sem qualquer problema.

Também os ecrãs do Surface Pro e do Surface Laptop estão aptos para poderem ser utilizados em conjunto com a nova versão da caneta da Microsoft e com o Dial, o acessório circular de design apresentado pela Microsoft em conjunto com o Surface Studio. Desta forma, os utilizadores mais criativos que procurem um computador mais transportável podem encontrar uma solução nestes modelos mais pequenos.

O Surface Pro vai estar à venda a partir de 949 euros e o Surface Laptop começa nos 1.169 euros. O Laptop da Microsoft chega às lojas no dia 15 de junho.