Ainda os fãs estavam a tentar recuperar do último episódio da sétima temporada da Guerra dos Tronos e já tinham uma nova notícia para digerir. “O Martin Studies International Network tem o prazer de anunciar o seu lançamento!”, escreveram Elio M. Garcia e Linda Antonsson no Twitter do Westeros.org, um site dedicado ao universo das Crónicas de Gelo e Fogo. A abertura de um grupo dedicado ao estudo da obra de George R.R. Martin já tinha sido falado mas, de repente, tornou-se realidade. É o primeiro do género dedicado à obra do autor norte-americano.

Foi nos já longínquos anos 90 que George R.R. Martin começou a escrever o primeiro volume das Crónicas de Gelo e Fogo, a saga onde se insere A Guerra dos Tronos. O livro saiu cinco anos depois, em 1996, e tornou-se rapidamente um êxito entre os fãs de literatura fantástica. Mas, apesar de ser conhecido no meio, Martin só se tornou famoso com a estreia da adaptação televisiva da saga, em 2001. Pode não ter sido a forma ideal de um escritor ser catapultado para a fama, mas a verdade é que, desde então, o interesse pela obra do norte-americano — pelo universo de A Guerra dos Tronos e não só — tornou-se muito maior.

Académicos começaram a prestar mais atenção ao seu trabalho, ao mesmo tempo que alunos de literatura começaram a pedir que George R.R. Martin fosse incluído nos programas curriculares. Começaram a surgir artigos e livros, escritos por especialistas mas também por fãs, que analisam os seus livros mas também o universo que criou, onde existem sete reinos, sete deuses, magia e até dragões.

Foi este interesse crescente que levou um grupo de estudiosos a criar o The Martin Studies International Network, o primeiro dedicado ao estudo da obra de Martin. O objetivo é, acima de tudo, “criar uma comunidade e um espaço seguro onde as pessoas possam discutir e trocar as suas análises do trabalho de Martin”, explicou ao Observador o presidente do Martin Studies, Matteo Barbagallo, doutorado em Literatura Inglesa e autor de inúmeros artigos sobre o autor. “Com respeito e consideração, claro.”

Barbagallo é um dos sete membros fundadores da associação, todos eles membros ativos da comunidade de fãs da Guerra dos Tronos. Elio M. Garcia e Linda Antonsson — que além de fundadores do Westeros.org são também co-autores da enciclopédia The World of Ice and Fire –, fazem parte dessa lista, que inclui também Julie Escurignan, vice-presidente do Network, Carolyne Larrington, professora de Literatura Medieval Europeia na Universidade de Oxford e autora de Winter is Coming: The Medieval World of Game of Thrones, Louise D’Arcen, professora de Literatura Inglesa na Universidade de Macquarie, e Jeremy Bret, curador da coleção de ficção-científica e fantasia da Cushing Memorial Library, no Texas, o repositório oficial dos manuscritos de George R.R. Martin.

“Reparámos que não havia nenhuma associação formal que estudasse a obra de Martin a um nível internacional e científico, como existe para o Tolkien, por exemplo, esclareceu ainda Matteo Barbagallo, por email. “Por isso, por detrás da criação do Network, existe a necessidade de criar um lugar onde os académicos, especialistas e fãs, interessados neste novo campos de estudos, possam reunir-se e trocar informação. Esperamos que tenha tanto sucesso e impacto como a Tolkien Society“, uma associação que se dedica ao estudo e promoção da vida e obra do autor de O Senhor dos Anéis.

E mais: os investigadores esperam que possa vir a tornar-se na mais importante fonte de trabalhos académicos, feitos por especialistas ou fãs em qualquer formato, mas também na maior comunidade de fãs das Crónicas de Gelo e Fogo e restantes trabalhos de Martin. “Esperamos transformar a nossa página de bibliografia numa fonte real para qualquer pessoa interessada no trabalho de Martin. Além disso, estamos a pensar em desenvolver uma página apenas para membros, com informação especial e uma plataforma de interação e uma newsletter.”

Atualmente, não existe nenhuma disciplina de literatura dedicada exclusivamente à obra do autor norte-americano. “Existem aulas de História Medieval que comparam o mundo criado por Martin ao mundo real da época medieval, estudos sobre os media que mencionam as Crónicas de Gelo e Fogo e A Guerra dos Tronos, e até houve um curso de Dothraki na Universidade de Berkeley este verão, mas não há nenhuma disciplina de literatura de que nós tenhamos conhecimento“, explicou Matteo Barbagallo. “Contudo, acreditamos que isso pode vir a acontecer em breve. Não nos podemos também esquecer que quando falamos dos trabalhos de Martin, não nos estamos apenas a referir às Crónicas de Gelo e Fogo, mas a todos os seus textos, ao universo que criou, às adaptações e aos seus fãs. Existem muitos campos de estudo.”

Nesse sentido, The Martin Studies International Network poderá dar um importante contributo no desenvolvimento do estudo da obra de Martin. “O objetivo final é fazer com que os membros troquem informação entre si e trabalhem em conjunto”, salientou Barbagallo. O grupo foi lançado a 1 de setembro e oficialmente apresentado durante a manhã desta quarta-feira na Game of Thrones: An International Conference, a primeira conferência dedicada aos livros de George R.R. Martin, que se realiza na Universidade de Hertfordshire, no Reino Unido, até quinta-feira. O grupo está aberto a todos os fãs, investigadores ou simples curiosos, e o primeiro ano de inscrição é grátis.

De momento ainda não há muita informação disponível no site da associação, mas o presidente garante que o formulário de inscrição estará disponível dentro de alguns dias. Os fãs estão curiosos — no Facebook, Twitter e na caixa de email da associação, têm chovido mensagens a perguntar como é se pode proceder à inscrição. “Por enquanto, as pessoas podem juntar-se a nós através das redes sociais”, afirmou Matteo Barbagallo. “No final da semana, também poderão tornar-se oficialmente membros do Network. E mal podemos esperar por isso!”