União Europeia

União Europeia vai preparar novas sanções à Coreia do Norte

A chefe da diplomacia, Federica Mogherini, adiantou que estas novas medidas irão complementar as sanções das Nações Unidas e instou os países a evitarem "entrar numa espiral de confrontação militar".

Federica Mogherini, chefe da diplomacia da União Europeia

CHRISTIAN BRUNA/EPA

A União Europeia vai preparar novas sanções para a Coreia do Norte na sequência do último teste nuclear, realizado por Pyongyang no passado domingo.

A informação foi avançada esta quinta-feira por Federica Mogherini, chefe da diplomacia da União Europeia, referindo que serão medidas que irão complementar as sanções da ONU.

“Vou propor hoje aos ministros que aumentem a pressão económica na Coreia do Norte, apoiando uma nova resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas em adotar medidas económicas mais duras, incluindo novas sanções autónomas da União Europeia”, afirmou Mogherini, citada pela Reuters, à entrada para uma reunião com os ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, em Tallinn (Estónia).

A chefe da diplomacia da UE, citada pelo Business Standard, considerou que “o nível da ameaça” que se vive hoje em dia “é claramente uma ameaça à paz e à segurança mundial” e instou os países a evitarem “entrar numa espiral de confrontação militar que poderá ser extremamente perigosa não só para a região como para o mundo inteiro”.

Para Mogherini, uma alternativa às sanções “é e pode ser extremamente perigosa”, especialmente tendo em conta o líder norte-coreano, Kim Jong-un, um “interlocutor que pode agir irracionalmente”.

Tanto os Estados Unidos como a China já adiantaram estar empenhados em encontrar uma solução para o problema da Coreia do Norte. No seguimento de uma conversa por telefone com o presidente da China, Xi Jinping, o presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou ontem que opção militar não é “a primeira escolha” para resolver a questão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rporto@observador.pt
Imigração

Os “anti-fascistas” histéricos /premium

João Marques de Almeida

Sendo a imigração o maior problema da Europa, desafio os “anti-fascistas” de pacotilha a olhar para as políticas anti-imigração de Macron antes de chamarem fascistas a Salvini e ao chanceler austríaco

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)